sábado, novembro 14, 2020

Cuidando da pele com argila e óleos essenciais


Conheci os óleos essenciais por acaso. Uma garota que sigo no Instagram há muito tempo, compartilhou seu colar difusor com um óleo que servia para acalmar e melhorar o sono. Fiquei interessada, já que o sono não era muito bom.


Pesquisei um pouco e logo depois, já estava com um kit lindo de óleos essenciais. Acontece que eu queria tê-los pelas questões emocionais, mas resolvi tirar proveito de todos os  aspectos dessas gotinhas maravilhosas.


Resolvi comprar uma argila dessas mais naturais, sem ser de marcas de cosméticos cheias de produtos químicos. Já tinha ideia mais ou menos de qual óleo seria ideal para a minha pele oleosa  e cheia de espinhas e acnes. Então a escolha foi: argila verde, óleo essencial de melaleuca (tea tree) e óleo essencial de cedro da Virgínia.


Sobre o óleo essencial de Melaleuca (Tea Tree)


Propriedades

 

Mente: é revigorante e revitalizante, especialmente após um choque. Seu aroma forte e agridoce envolve o coração e a mente, trazendo confiança ao espírito. Muito útil em casos de indivíduos delicados que lutam não apenas com seus corpos, mas também com sentimentos de “vítima” e desgraça, que muitas vezes acompanham doenças crônicas. Limpa pensamentos perturbadores.


Corpo: seu uso mais importante é ajudar o sistema imunológico a combater doenças infecciosas. Ativa os leucócitos para formar uma defesa contra organismos invasores e ajuda a reduzir a duração das doenças. É um óleo extremamente antisséptico e ajuda a liberar as toxinas do organismo através do suor. Apesar de não promover a cura propriamente dita, pode ser utilizado para ajudar a fortalecer o sistema imunológico de pacientes com AIDS. Uma massagem com Tea Tree antes de uma cirurgia ajudará a fortalecer o organismo. Suas excelentes propriedades antivirais e germicidas são úteis no tratamento de infecções repetitivas e da fraqueza decorrente de viroses.


Pele e para os cabelos: tem profundo efeito purificador – reduz o pus em feridas infeccionadas, furúnculos e espinhas. Parece eliminar manchas de cicatrizes causadas por catapora de herpes-zóster. É útil em caso de queimadura, ferida, queimaduras causadas pela exposição ao sol, verrugas, impigem, herpes e pé de atleta. É útil em condições de ressecamento de couro cabeludo e no combate à caspa. Estudos clínicos mostram grande atividade antifúngica e bactericida e potentes benefícios no tratamento da acne.


Principais indicações: Suas maiores virtudes se encontram no poder antimicrobiano de seu óleo essencial. O óleo essencial a 5% demonstrou ser mais efetivo que loções de peróxido de benzoíla 5%, em 124 casos de acne de grau moderado. Em 60 casos de micoses (pé de atleta), aplicado diretamente observou-se uma melhora em 38 deles. Usado também como balsâmico, cicatrizante, revigorante, expectorante, fungicida, inseticida, estimulante e sudorífero. O emprego do óleo essencial como desinfetante nos sanitários e nos lavabos foi rigorosamente testado na Austrália, sendo aprovado a partir de 1980 na porção de 4 partes de óleo essencial para cada 1.000 partes de água. O uso e os estudos como antisséptico estão sendo estendidos para linhas de produtos de limpeza para roupa, dentifrício, xampus e desodorantes. Outro emprego muito estudado é a aplicação na limpeza de sistemas de ar-condicionado, com efeito de eliminar fungos, bactérias e outros germes. (Fonte By Samia)




Sobre o óleo essencial de Cedro da Virgínia


Propriedades

 

Mente: a tensão nervosa e os estados de ansiedade se beneficiam bastante de sua ação calmante e confortante. Isto o torna um valioso recurso facilitador da meditação. No entanto, a crença de que o cedro é capaz de orientar indivíduos desorientados ainda precisa ser testada.


Corpo: costuma ser mais útil em problemas crônicos que em crises agudas. Uma ação tônica combinada sobre os sistemas glandular e nervoso ajuda a colocar o organismo em equilíbrio, regulando, dessa forma, a homeostase. Seu principal efeito, entretanto, provavelmente em razão de suas propriedades expectorantes, é no aparelho respiratório, podendo aliviar problemas como bronquite, tosse e acúmulo de catarro. O excesso de mucosidade é controlado pelo efeito “secante” do cedro.


Pele e para os cabelos: suas propriedades adstringentes e antissépticas são muito benéficas à pele oleosa – pode ajudar a combater a acne. Também ajuda a eliminar a sarna e o pus e problemas crônicos como dermatite e psoríase. É um ótimo tônico capilar e pode ser eficaz no combate à seborreia do couro cabeludo, à caspa e à alopecia. As propriedades do cedro como amaciante da pele parecem ser potencializadas quando ele é misturado ao cipreste e ao Olíbano.


Principais indicações: antisséptico, adstringente, diurético, emoliente, expectorante, fungicida, inseticida, sedativo e tônico geral. (Fonte By Samia)


E quais os benefícios da argila verde?


É argila mais eficaz para peles oleosas e com acnes, pois tem ação secativa, anti-inflamatória e grande capacidade de absorção, sorvendo o excesso de oleosidade e regulando a produção sebácea. Outro dos benefícios da argila verde é ser desintoxicante e age como um leve esfoliante, eliminando toxinas e favorecendo a renovação celular, além de suavizar a aparência de manchas causadas pelas espinhas. 


Como eu preparo tudo isso?


Precisa ser um recipiente de vidro e uma colher de madeira. Eu coloco uma quantidade que seja suficiente para, no máximo duas aplicações. 


Costumo colocar soro fisiológico ou chá de camomila para formar uma laminha. Depois disso coloco uma gota de cada óleo essencial, misturo tudo e passo no rosto.


Algo muito importante é não deixar que a argila seque no seu rosto. Se você acha que precisa deixar um tempo a mais, umedeça com a própria argila. Quando secar é só lavar o rosto até tirar toda a argila e passar um creme hidratante de sua preferência.


terça-feira, novembro 03, 2020

Viajando com uma mochila


Vocês já viajaram com pouca bagagem? Já levou só uma mochila para ficar em outro estado por alguns dias? Então, resolvi compartilhar com vocês a experiência de viajar por cinco dias apenas com uma mochila.


Sim, estou indo para o Rio de Janeiro e dessa vez vou compensar a experiência ruim que tive em janeiro dessa ano. Depois eu conto para vocês o dia em que fui assaltada em Copacabana.


Nas vezes em que eu fui sair para uma viagem, levei muita coisa desnecessária e que no final foi só um peso maior para carregar no aeroporto e bagunça demais para arrumar no dia de ir embora. Dessa vez vou levar o mínimo de coisas, ainda mais que estou indo para o Rio de Janeiro. Mas por quê eu vou fazer isso?


Primeiro porque eu não estou afim de gastar dinheiro com mala de rodinhas, segundo porque estou tentando ser o mais minimalista possível em alguns aspectos da minha vida. Desde que eu decidi mudar meus hábitos de consumo, eu realmente penso bem nas minhas atitudes do dia-a-dia. 


Além disso, eu quero mesmo conhecer o Brasil e acredito que para colocar isso em prática preciso priorizar várias coisas. Dentre várias, aproveitar a viagem e guardar dinheiro para mais viagens.


Meu roteiro de viagem é, quase sempre, visitar museus, cafés, aprender alguma coisa e relaxar um pouco na beira da praia, quando tiver. Na minha primeira viagem para fora do DF, para o Rio Grande do Sul, eu levei bota, sapato, tênis. Já para São Paulo foram dois tênis, mesma coisa para Ouro Preto. 


Agora, vai ser apenas um tênis para ir, passear e voltar. E assim será daqui para frente, porque ninguém merece ficar preocupada com isso. Mas vamos lá para algumas dicas.


Check list


A primeira coisa que considero importante na hora de arrumar a mala, é fazer um check list. Você encontra vários modelos já prontos na internet para diversas ocasiões, mas nada impede que você mesma faça do seu jeito. 


O importante mesmo é fazer uma lista de itens indispensáveis para a viagem, de modo que você não leve , por exemplo, roupas que não vá usar e vá apenas encher espaços que podem ser aproveitados de outra forma.


Elimine mais itens a partir do Check list


Você fez o check list dos itens essenciais, agora é hora de retirar mais coisas dispensáveis daí. Sempre é possível tirar uma coisinha aqui e outra ali.


Digamos que na sua lista você colocou dois batons de cor diferente para não repetir. Veja bem, você não precisa se preocupar se na foto seu batom vai estar repetido. Por experiência própria, eu levo um balm que dá uma corzinha.


Já perdi a conta de quantas vezes deixei de usar um item de maquiagem. Quando estou em uma viagem, eu quero tanto sair do quarto do hotel e aproveitar que mal lembro desse detalhe. 


Claro que eu sou uma pessoa que dispensa maquiagem em muitas ocasiões. Mas você pode ver com base em viagens anteriores coisas que levou e quase não usou e eliminar da sua mochila.


Menos é mais


Isso serve para vários aspectos da vida, concordam? Quando vou viajar com uma mochila eu sempre penso na quantidade de dias que vou ficar e nas roupas exatas para cada dia. 


Como eu disse antes, até mesmo o tênis eu estou optando por levar só um e é o mesmo que vou para o aeroporto. 


Em compensação, com a sobra do espaço, eu posso trazer coisinhas legais para mim ou lembrancinhas para familiares.  Um exemplo: há alguns meses, eu comprei uns frascos de vidro âmbar pela internet. Foi bem barato, cerca de 45 reais. Quando fui ao Rio de Janeiro, encontrei os mesmos frascos e vários outros pela metade do preço. Era super viável trazer.


Mesmo sendo coisinhas pequenas, na hora de arrumar a mala de volta, sempre faz uma diferença enorme. Compensava comprar, pois aqui em Brasília não tem loja que vende esse tipo de coisa.


Pense sempre que quanto menos coisas levar menos trabalho vai dar e você, em contrapartida, se preocupa menos e se diverte mais.


Espero  que tenham gostado das dicas e que aproveitem bastante.

Até mais.

quarta-feira, agosto 26, 2020

O home office não é para mim!

Cansada

Não é clickbait. Realmente é uma coisa que vem me trazendo aflição desde o início do isolamento social. Talvez a internet já esteja abarrotada de reclamações sobre essa quarentena sem fim - e que não haverá fim se depender do desgoverno - mas eu realmente precisava colocar isso de alguma forma para fora de mim.

Fiquei alguns meses basicamente com férias adiantadas, recesso escolar e todos os feriados antecipados. Já era muito ruim o sentimento de incerteza.

Depois que voltamos, eu imaginei "ah que bom, agora tenho uma ocupação". Tadinha de mim, mal sabia que trabalharia dobrado, com inúmeras distrações e precisando intercalar uma reunião com a lavagem do banheiro. Ou fazendo os dois ao mesmo tempo.

Eu escrevi aqui no blog alguns textos sobre os meus sentimentos a respeito desse purgatório em que vivemos (aqui, aqui e aqui) e parece que cada dia surge uma aflição diferente. Toda a "mansidão" que passei durante uns três meses, agora está sendo cobrando, sabe?

Fico dividida entre "amo ser professora" e "por que não escolhi outra profissão?". Não que eu tenha desistido de pensar em uma outra ocupação, mas no final eu penso que eu queria mesmo era ter nascido herdeira e tenho certeza ainda, de que eu odiaria.

O trabalho em casa é complicado. Imagine você, que trabalha com blog e escuta há anos "você só trabalha com isso?". Então, agora imagina você ralar dia e noite, tentar manter a sanidade mental e as pessoas pensarem que está super tranquilo você trabalhar, dar conta da casa, da vida social (vida social em plena pandemia, sim, você leu isso), e ainda lidar com todas as interrupções enquanto você cria material escolar para uma criança que mal saiu da educação infantil?

É um desabafo, entenda. Eu realmente gostaria de fazer bem mais por todas as crianças que dou aula. Elas são infinitamente as mais prejudicadas em meio a toda a essa loucura. Mas sabe, eu me sinto mal quando acordo de bom humor e bem disposta.

Pois é, lidar ainda com "sua felicidade clandestina" é complicado. Parece que é mais fácil eu me manter com raiva, de cara feia e chorosa do que tornar minha "alegria" algo que não deveria ser o destaque do dia, a capa do jornal da cidade.

Misturei tudo, né? É isso. Home Office pode ser o sonho de muita gente. Para mim não está legal. Está consumindo minha energia (que já não era muita) e não consigo administrar isso mais de um mês depois.

terça-feira, agosto 04, 2020

Materiais que uso no Bullet Journal

materiais bullet jurnal
Já faz tempo que quero mostrar o material que uso no meu Bullet Journal, mas estava sempre deixando para depois. Em primeiro lugar é importante, MUITO IMPORTANTE deixar claro que tudo o que eu comprei não foi da noite para o dia. Foi uma compra aqui, outra ali, um precinho bom aqui, outro ali.

Segundo, também é importante deixar bem claro que você não precisa ter mil coisas e todos os materiais para começar seu bullet journal. Eu comecei com um caderno espiral de folha branca, uma caneta Stabilo preta, já que na época era a mais famosinha, um lápis e uma borracha. Ah, também tinha um pouquinho de papel pardo, mais precisamente envelopes e pedaços de saco de pão.

Hoje em dia, todo o material para deixar seu bujo mais fofinho e bem cara de Pinterest, é bem mais acessível e com preços bem bacanas. Lembro da época em que eu encontrei uma washitape para comprar pela primeira vez. Foi o único dinheiro que eu tinha, mas eu queria tanto que comprei.

Atualmente, estou usando um caderno pontilhado, algumas várias canetas e um mundo sem fim de washitape. "Usando", assim mesmo entre aspas, já que comigo pelo menos é assim, eu acho lindo, compro e acabo usando bem pouco, mas é mesmo para economizar.

caderno pontilhado
Meu caderno é um da Leitura que eu comprei no início desse ano. Ele custou R$25 e confesso que me arrependo um pouco de ter comprado nessa cor. Meu primeiro caderno pontilhado, eu comprei no Mercado Livre e escolhi um branco. Foi horrível e jurei nunca mais comprar um nessa cor.

Até hoje não entendo como achei que mesmo não sendo branco, mas ainda assim é uma cor muito clara, não iria sujar e eu não iria me arrepender. É isso, não comprem cadernos com capa branca/clara, é horrível, já que suja muito.

O meu maior sonho era comprar canetas Tombow. Encontrei uma vez em um shopping aqui de Brasília e faz muito tempo. Ainda bem que não comprei mais da marca, já que a ponta espatifou toda com pouco tempo de uso. 

Hoje, depois de testar várias canetas brush, digo sem medo que as minhas preferidas são as da Cis. São incrivelmente duradouras, macias e muito mais baratas. Tenho algumas outras aqui, inclusive duas que comprei na Daiso e que são igualmente boas.
Canetas bullet journal
Eu não quis colocar aqui a foto de todas as canetas que eu tenho. Preferi colocar as que mais uso no geral. Na ordem da foto:

-Caneta Compactor Microline 0.4: No começo eu usava as canetas da Stabilo, mas depois que elas chegaram a nove dinheiros nas lojas por aqui, eu mudei para as da Compactor ou qualquer uma outra parecida, que escreve do mesmo jeito e são mais baratas.

-Dual Brush Cis: Depois de usar a brush Tombow, eu passei a procurar opções mais acessíveis que não precisasse vir dos Estados Unidos. Se é possível simplificar, então vamos. Ostentação é coisa do passado.

-Mildliner Zebra: Tá, confesso que eu achei muito caro o kit com 5 marcadores. Mas vou explicar o motivo de eu ter comprado dessa marca. Eu queria MUITO um marcador cinza. Sempre achei muito lindo e procurei várias vezes em muitos lugares, porém não encontrei. Até encontrei, mas não eram do jeito que eu queria/esperava. Aproveitei que estava sobrando uma graninha e comprei no Mercado livre. Eu amo esse marcador cinza e sim, a qualidade é muito boa, mas ainda tenho esperança de que as marcas acessíveis façam um marcador cinza, já que um dia esse vai acabar.

-Uni pin fine line 0.05: Eu amo essa caneta. Ela tem valor sentimental. Foi cara e tal, mas já tenho faz uns dois anos e até que uso bastante. 

-Nanquim Pigma Micron Sakura: Tenho duas canetas dessa marca, porém não sei bem as informações sobre elas, já que tudo que tinha escrito sumiu, como vocês podem ver na foto. Pra vocês terem uma ideia de quanto tempo faz que eu as tenho. Sei que uma é 0.05, igual a Uni e a outra eu acho que é 03. Uso muito a 03, ela é maravilhosa.

Além das canetas eu tenho alguns vários washitapes, mas eu realmente não quero colocar foto deles aqui. Até fotografei, mas não curti muito. Talvez eu mostre no Instagram um dia desses.

Para ter um bullet journal, você não precisa de forma alguma gastar todo seu dinheiro ou dar um rim para ter materiais caros. Hoje em dia você encontra todas as opções caras em versão mais baratinha.

Faz dois anos que mantenho meu bujo e já virou hábito. Não passo mais do que um dia sem mexer nele e sinceramente, me ajuda muito. Eu gostaria de aproveitá-lo ainda mais, mas ainda não sei como.

E vocês, costumam se organizar? De que forma? 

Ah, olha como minha capa de Agosto ficou fofa, eu adorei!!

Abraços!!
Milca Abreu - Blog Sabe o inverno. Design by Berenica Designs.