quarta-feira, dezembro 06, 2017

LIVRO | PSICOPATAS DO COTIDIANO - KATIA MECLER

Li esse livro faz um tempo e estava aqui procrastinando para compartilhar com vocês. O título do livro é um tipo que chama minha atenção de longe, então quando o vi não tive dúvidas de que ele seria meu. Assim como já disse quando sugeri esse livro e essa série, eu AMO história sobre serial killers e psicopatas. Ficção ou não, eu gosto da leitura, não perguntem o motivo, apenas gosto.

Mas aqui não temos histórias de criminosos ou algo assim. Eu diria que é mais um manual para você reconhecer os psicopatas que te rodeiam. As vezes eu acho que deveria cursar psicologia, porque o comportamento humano é no mínimo interessante. Confesso que quando vi o título do livro pensei: NOSSA, SERÁ QUE ESTOU CERCADA DE LOUCOS CRIMINOSOS? Mas como eu disse, através dessa leitura você  consegue analisar um pouco as pessoas próximas a você.
Sinopse: Diz o ditado que de perto ninguém é normal. E, de fato, basta parar um minuto para observar o seu entorno e você vai identificar aquela pessoa que é instável demais, outra que é inflexível demais, outra ainda que é teatral ou insegura ou arrogante ou submissa... Os desvios são muitos, e estão sempre à nossa volta. Às vezes são apenas características individuais, que não preenchem critérios para diagnóstico psiquiátrico algum, mas outras vezes são comportamentos repetitivos, peculiares e disfuncionais que causam danos físicos e psicológicos às próprias pessoas ou para aquelas que estão ao seu redor. Este livro identifica estes que são os psicopatas do cotidiano e explica em detalhes as características que levam essas pessoas a agirem assim. Para quem tem um deles ao redor, será uma oportunidade única de descobrir mecanismos que ajudem a manter a própria integridade, física ou psicológica, sem abrir mão da convivência. "As pessoas precisam, isto sim, conhecer melhor seus próprios problemas ou os transtornos de gente do seu relacionamento. E o conhecimento é o melhor caminho para que se possa conviver melhor.
Avaliação: ★★★★☆
O autor mostra a cada capítulo um tipo de transtorno de personalidade, tais como o paranóide, o borderlaine, o antissocial, entre outros. É muito comum no decorrer da vida encontrarmos pessoas com essas características e é bem complicado lidar com essas pessoas. Além disso, quem aí nunca se considerou antissocial? ou obsessivo-compulsivo? Eu mesma me considero uma pessoa que não sabe lidar com outras pessoas na maioria das vezes e gosto até de evitá-las, claro, não sempre (risos).

E aí que em Psicopatas do Cotidiano a autora, Katia Mecler, nos explica detalhadamente como são cada uma dessas pessoas. Sabemos que é muito fácil nós aprendermos a lidar com elas do que esperar que elas mudem do dia para a noite, então é uma leitura extremamente válida.

Já percebeu, também, que muitas pessoas que ocupam cargos altos possuem algum tipo de característica que nos faz pensar NÃO PODE SER NORMAL. Já tive chefes que arrasaram com a minha vida justamente porque eu não sabia lidar com alguns comportamentos.
É impressionante como muitas das coisas faladas no livro são reais e me fizeram pensar em todas as pessoas que já passaram pela minha vida. Sem falar que na maioria dos casos a gente só tem o costume de pegar ranço e pronto. Também é importante que aquelas pessoas que têm filhos fiquem de olho no comportamento deles. Isso é muito sério e o ser humano, normalmente, já têm o poder de destruir vidas e ser péssimos, então a melhor saída é cuidar das crianças de hoje.

Como eu disse ali em cima, o comportamento humano é interessantíssimo, talvez seja esse o motivo de eu gostar tanto de temas relacionados.

I.S.B.N: 9788577345700; Páginas: 253; Ano: 2015; Autor: Katia Mecler; Gênero: Não-ficção / Psicologia; Editora: Leya.

Onde comprar:

terça-feira, dezembro 05, 2017

CONFRATERNIZAÇÃO DE INFLUENCIADORAS DIGITAIS DE BRASÍLIA 2017

Se tem uma coisa - das várias - que eu detesto nessa vida é ficar sem postar aqui no blog. Isso me deixa muito para baixo sabe? mas é que às vezes dá um desânimo, aí não postar me dá mais desânimo e por aí vai. Enfim. Vou contar para vocês um pouquinho sobre a confraternização que tivemos no último final de semana com algumas blogueiras aqui de Brasília. Hoje eu não posso mais dizer que faltam blogueiros aqui, porque fiz tantos amigos que compartilham do mesmo amor que eu por esse mundo que seria muita injustiça dizer que eles não existem. Agora só precisamos conquistar um espaço maior.

As idealizadoras do evento foram a Maria e a May, duas pessoas incríveis que passei a admirar demais. Elas, inclusive organizaram o picnic, lembram? Então, quando a Maria me convidou eu pulei de alegria, porque sempre via as fotos desses eventos de final de ano e ficava com muita vontade de participar.
Foi muito trabalhoso. Apesar de não ter participado diretamente da organização, sei que foi algo que exigiu muito esforço e noites sem dormir por parte das organizadoras. Empresas que disseram que apoiariam e em cima da hora desapareceram; vários nãos, várias portas fechadas, mas também várias pessoas acreditando no nosso trabalho, e é isso que me faz querer continuar.
Eu tinha muito receio de dizer que sou uma influenciadora e ainda me acho muito pequena para me intitular ~influencer, porém sei que vocês que me acompanham e que seguem a maioria das minhas sugestões contribuem muito para que o blog cresça cada dia mais. Tenho muito o que aprender nessa vida, mas com a ajuda de vocês eu sei que consigo.
Para que essa confraternização desse certo, nós contamos com muitas empresas maravilhosas. Você devem imaginar como é ser reconhecido por qualquer coisa, por mínima que seja. Então nós tivemos três mini workshops: fotografia, com o Júnior da The Flash Fotos (@theflashfotos); linguagem e comunicação na era digital, com o Rodrigo do Questões Controversas (@questoescontroversas) e como fidelizar clientes, com o Diogo da Agência 2biz (@oficial2biz).
Sem falar cada uma das meninas que participou. Ri demais, pude conhecer pessoas maravilhosas e sei que essa é uma grande chance de crescermos juntas. Espero que no próximo ano possamos fazer um encontro a cada mês hahaha.

Teve muita foto e eu estou postando lá no meu Instagram e também estou marcando as meninas nas fotos, porque o tipo de mídia é bastante variado, eu levaria uns três dias para organizar e linkar cada blog, canal e Instagram aqui, então passa lá, me siga e siga as meninas também, elas são show!

Você pode acompanhar as publicações no insta pela hashtag #cibsb2017

quinta-feira, novembro 16, 2017

EU FICO ANSIOSA OU: COMO TENTAR MUDAR MEU ESTILO DE VIDA ME FAZ PIRAR

Um fato sobre a pessoa que vos escreve: sempre fui uma consumista de plantão. Uma blusa apenas não bastava, eu precisava daquele modelo lindo em todas as cores disponíveis. Com o tempo fui diminuindo essa compulsão e hoje estou ainda em processo e vivo dizendo para mim mesma que ter hábitos saudáveis é melhor; eu vou agredir menos o meio ambiente e o aquecimento global é culpa das minhas compras desenfreadas. Tá, eu sou um pouquinho exagerada em alguns pontos, mas vamos fazer o quê?

O problema em querer consumir de forma consciente é que acaba me deixando ansiosa. Eu já falei algumas vezes por aqui que faço tratamento e, apesar de não fazer terapia - ainda - eu uso medicamentos controlados para não surtar de vez. Coisa que estou tentando largar, oremos!

Vez ou outra me pego vendo videos nos Youtube sobre o tal consumo consciente e sobre veganismo, vegetarianismo, produtos cruelty free. Percebi então que depois de ver todos esses videos eu me sentia culpada. Uma culpa que pensando bem não deveria existir. Penso demais no meio ambiente e em formas de não maltratá-lo, mas eu não conseguiria levar uma vida sem carne, e o fato de me imaginar tendo que fazer uma pesquisa enorme para saber o que comprar não me faz bem. 

Peço perdão caso alguém se ofenda com esse post, acredito que seja uma causa realmente nobre, entendo perfeitamente o pensamento de pessoas que defendem os animais, mas cada vez que penso na quantidade de coisas que eu tenho e que são testadas em animais ou que prejudicam o meio ambiente eu fico em uma situação complicada, a ponto de perder o sono. Entendam que eu acho justíssimo, porém não posso me deixar passar por um sentimento pior ainda por saber que eu amo certas coisas e não vou conseguir me desfazer delas tão facilmente.

Não consigo mudar de uma vez e sei que nunca vou conseguir ser uma pessoa vegetariana e é aí que eu tento fazer alguma coisa para compensar. De uns tempos para cá, todo produto que compro eu dou uma pesquisada de leve para saber mais sobre a marca. Tento buscar aqueles produtos que sei que são cruelty free, naturais/orgânicos, entretanto não me prendo demais a isso justamente porque afeta minha saúde mental e não acho que isso seja bom. 

Algumas atitudes pequenas do dia-a-dia já me fazem sentir bem, como por exemplo:

-substituir aos poucos e de forma natural produtos que testam em animais;
-comprar somente o necessário;
-jogar o lixo no lixo - embora seja algo simples, muita gente não o faz;
-usar produtos recicláveis;
-não produzir tanto lixo;

Para isso eu sigo alguns pensamentos antes de qualquer coisa:

-pesquiso marcas acessíveis e que realmente são cruelty free;
-antes de comprar me pergunto se preciso ou se quero;
-procuro formas alternativas e que podem ser usadas várias vezes ao invés de uma vez e lixo.

Estou me sentindo bem aliviada depois de escrever esse post. É como se algo estivesse preso aqui na garganta e que eu precisava falar para as pessoas que me leem. Espero que me compreendam e compreendam o sentido desse textão e caso vocês saibam de produtos alterativos e que realmente tenham preços bons, por favor me indiquem, aos poucos eu acho que consigo chegar lá. Ou quase lá.

segunda-feira, novembro 13, 2017

AS MÁSCARAS FACIAIS DA AVENCA

Faz um tempinho que a Avenca me mandou uma caixinha com algumas máscaras faciais, incluindo aquela preta que acredito que a maioria conheça. Achei bem legal, porque eu já tinha procurado para comprar e não encontrei, então foi uma coisa maravilhosa, né amores? Fiquei super empolgada para testar, ainda mais porque as opiniões em relação à máscara preta são variadas. Pelo que percebi o resultado varia muito de pele para pele, então só usando mesmo para você saber se vale a pena ou não.

Eu quis testar por um tempo para ter certeza de que daria certo em mim e depois vir contar minha experiência, por isso demorei a escrever esse post. Na caixinha veio: máscara preta, máscara 24k e o idealy lifting instantâneo. O último não usei, porque não tenho linhas de expressão, então não faria muito sentido. Estou guardando para alguma ocasião especial em que eu possa testar em alguém.
-Sobre a máscara preta: O grande diferencial e potencial da Avenca Máscara Preta de limpeza facial é a remoção de cravos. Porém, ela ajuda na hidratação da pele, diminui a oleosidade, purifica e desintoxica, mantem a pele macia e contribui para o anti-envelhecimento.

O que achei?

Eu uso uma vez por semana ou quando percebo que tem muito cravinho na região do nariz, mas o indicado é de duas a três vezes por semana. Tenho a pele mega oleosa e ela ajuda muito a controlar isso. Remove bem os cravos e deixou minha pele bem lisinha, além de ter diminuído bastante as manchinhas de espinha.
-Sobre a máscara golden: A Avenca Máscara Facial Golden 24K é um luxuoso e intensivo creme facial de hipernutrição com partículas de ouro 24 quilates e tecnologia de ultima geração, os quais ajudam a restaurar, nutrir e estimular o metabolismo. Além disso, a Máscara Facial Golden 24K proporciona proteção para peles mais ressecadas ou desidratadas. 

O que achei?

Também uso uma vez por semana, mas com bem menos frequência que a máscara preta. Acho bem legal a cor dessa máscara, parece ouro mesmo. Coisa fina, sabe? Sempre que passo a golden 24k, o faço pela manhã e durante o no decorrer do dia fico com uma sensação de pele limpa por muito mais tempo. Achei que ela deu muito certo em mim e já faz parte dos meus cuidadinhos de pele do dia-a-dia. 

Vi muitos vídeos sobre ambas e, como eu disse, dá certo em algumas pessoas e em outras não, mas acredito que elas cumprem muito bem o prometido. Já fui muito mais vaidosa em muitos aspectos, mas hoje eu me preocupo muito mais com a saúde da minha pele e com a aparência, afinal de contas não tem nada melhor do que uma pele linda e bem cuidada. Faço muito mais para me sentir bem e acho que é isso que as grandes marcas deveriam pregar. 

Depois que eu recebi essa caixinha da Avenca, encontrei as máscaras para vender em um shopping aqui nas redondezas e vi que cada sachê custa em média 6 reais. Eu consigo usar um sachê duas vezes, embora o ideal seja usar ele todo de uma vez, mas eu não costumo seguir certas regrinhas. E está dando certo.

Se você quiser conhecer um pouco mais sobre a Avenca, basta acessar o site da marca.
Milca Abreu - Blog Sabe o inverno. Design by Berenica Designs.