terça-feira, outubro 31, 2017

O QUE FAZER QUANDO SE SENTIR PARA BAIXO?

Seja qual for o motivo, a razão ou a circunstância, tem sempre aqueles dias em que a gente gostaria de ficar isolado do resto do mundo, deitado em posição fetal e, talvez, com a Netflix como única companheira. Bom, eu já fiz muito isso e por experiência própria digo que nunca resolveu nada. Não aliviou sintomas de querer desaparecer e muito menos fez eu me sentir melhor. Muito pelo contrário, eu só levantava por obrigação e isso fazia eu me sentir até pior, já que o sentimento de não estar fazendo nada útil continuava.

Algumas dicas na internet me ajudaram bastante a melhorar em momentos assim, aliás ajuda até hoje e, também por experiência própria, faça por você. Não espere que você fique bem por causa de terceiros, não espere alguém vir te animar. Tome a iniciativa. Mesmo que a gente tenha pessoas queridas que nos apoiam, só você sabe o que está passando e sentindo. É muito ruim ficar para baixo. Nossa saúde mental merece mais, então aqui estão algumas coisas que me ajudam e talvez possam te ajudar também.

Tome um banho frio
Alguns estudos já comprovaram que água fria trás inúmeros benefícios para o corpo. Desde que li isso em algum lugar que não lembro, sigo a recomendação. A água fria ativa um hormônio - que também não lembro o nome - que é responsável por dar a sensação de bem estar e tem um efeito antidepressivo. Além disso eu normalmente fico bem mais alerta. Comigo funciona.

Ouça uma música leve
O Spotify é um salvador de vidas. Da minha vida. Se eu tivesse que escolher apenas dois aplicativos para ter no celular, certamente seria ele e o app da Netflix. Enfim, lá você encontra listas prontas para várias ocasiões. Descobri que ouvir smothie jazz me acalma. Música instrumental também, então eu tento selecionar as preferidas e sempre criar playlists novas.

Saia de casa
Antes de me mudar, sempre que eu estava me sentindo para baixo eu saía para dar uma volta. Às vezes, poucas vezes eu colocava um tênis e fazia caminhada. Quando não, eu apenas ia para o shopping lá perto. Agora, como estou em uma cidade nova e não conheço muito, só pego umas moedinhas e vou à padaria. É uma boa caminhada daqui até lá, então dá para pegar um ventinho no rosto.

Respire
Dizem que antes de fazer algo idiota ou dar uma resposta grosseira, se você respirar, alivia o estresse. Parece que ventilar o cérebro evita que façamos uma burrada. Quando eu penso que nada mais vai dar certo nessa vida, eu apenas sento e respiro. Respiro até conseguir raciocinar melhor. Às vezes isso também me ajuda, principalmente assim que acordo e já estou na bad.

É isso. Espero que também possa te ajudar de alguma forma e se precisar de um ombro amigo e virtual, é só chamar.

segunda-feira, outubro 30, 2017

SÉRIE | THE CONFESSION TAPES

Estou sempre procurando um documentário novo, já que eles sempre me ensinam algo novo. Depois que a Netflix entrou na minha vida, o acesso a esse tipo de material ficou muito mais acessível. Além disso, série documental é algo que eu passei a gostar muito, até já falei aqui sobre o quanto gostei de Making a Murderer, inclusive tenho uma lista de várias outras para indicar para vocês. Mas hoje quero falar sobre The Confession Tapes.

São seis casos reais de pessoa acusadas e condenadas por homicídio. Tudo normal até então, mas essas pessoas confessaram, forçadamente, crimes que não cometeram e uma confissão faz total diferença no momento de uma investigação criminal. O que aprendi vendo séries, filmes e documentários é que se o investigador tem certeza de que uma pessoa é culpada, ele vai até o final até que surja uma nova prova.

Nesses casos, eles oferecem um acordo ou uma pena para o resto da vida. Se a pessoa, mesmo inocente confessar um crime, ela pode ficar menos tempo na cadeia. Se negar e não encontrarem nada consistente que comprove a inocência, a pessoa pega prisão perpétua e, dependendo do estado, pena de morte. O que você iria preferir, visto que sua palavra não vale absolutamente nada?

Os casos apresentados na série The Confession Tapes como eu disse, são casos verídicos e aconteceram em lugares e épocas diferentes. A semelhança entre eles é que foram confrontadas por autoridades que os fizeram duvidar da própria sanidade e do próprio caráter. Esses não são os únicos casos, ou casos isolados. Se você der um Google vai ver a quantidade de pessoas que estão hoje atrás das grades por crimes que não cometeram.

Além de tratar desse tipo de injustiça, a série levanta duas questões importantes e polêmicas, principalmente nos Estados Unidos: o racismo e a precariedade do sistema carcerário. Confesso que não sou do tipo de pessoa que levanta bandeira em nome dos direitos dos presos e acho péssimo que criminosos tenham mais privilégios do que "pessoas de bem". Mas os órgão responsáveis precisam ver que existe muita coisa errada lá dentro.

Sobre o racismo, sem dúvida negros são maioria nas prisões, é o que a própria série afirma, além de outros dados fáceis de serem encontrados. Negros e inocentes então, tem demais. Aqui no Brasil não é diferente. Bandido desfrutando do que há de melhor na vida, enquanto existem milhares de pessoas esperando anos para serem julgadas. O dinheiro comprando espaço nas cadeias, rebeliões tirando vidas dos mais fracos, adolescentes que saem pior do que quando entraram. Enfim, é uma série de coisas erradas que vemos no mundo inteiro.

Tenho certeza de que você, principalmente se se importa com direitos humanos, vai se emocionar ao ver situações lamentáveis em que nada pode ser feito a não ser esperar.

Até mais.

segunda-feira, outubro 23, 2017

ÚLTIMOS 10 FILMES VISTOS #3

Esse modelo de post tem feito muito sucesso aqui no blog, muito mais do que quando eu falava de um único filme em um post, e achei bem legal, porque assim tenho a chance de mostrar minhas opiniões e indicar bons filmes de forma mais rápida e sucinta para vocês. Até porque, imagino, se eu fosse falar sobre cada filme que assisto, não haveria espaço no blog para mais nada. Então vamos para a lista e espero que curtam.

  1. Annabelle 2: A Criação do Mal - é bom, porque eu amo filme de terror, mas achei as atuações meio ruins. Não esperava mais, mas esperava no mínimo boas atuações.
  2. A Torre Negra - eu gostei demais e, talvez porque não li os livros, entendi perfeitamente. 
  3. Código de Honra - pense em um filme ruim! A ideia é boa, mas as atuações estão bem péssimas e, sinceramente, um file com Steven Seagal merecia ser melhor em nome dos ótimos filmes que ele já fez.
  4. O Livro de Henry - é para chorar  e rir. Muito lindo, divertido e essas crianças são atores incríveis.
  5. Melancolia - aquele tipo de filme que você assiste por causa das ótimas críticas e vê que não é lá tudo isso. É um filme muito bom, mas você precisa pensar um pouco depois que o ele acaba.
  6. Drama em Família - muito bom!! É daqueles para chorar um pouco também.
  7. A Última Fronteira - filmes que tratam de situações humanitárias sempre me comovem. O foco é o romance entre dois personagens, mas tem toda uma tensão de guerras que cercam a história.
  8. Primeiro, Mataram o Meu Pai - muito tocante no que diz respeito ao contexto. É um cenário que sempre me deixa triste, mas mostra a coragem de uma garotinha, que deveria estar aproveitando a infância.
  9. A Síndrome de Berlin - um daqueles filmes agoniantes, já que você se imagina dentro da cena e imagina todas as formas possíveis de fugir dali, mas que a protagonista nunca faz.
  10. Jogo Perigoso - Stephen King é rei, todos sabem disso. Gostei demais da adaptação e mais ainda da resposta que a Netflix deu para os nossos questionamentos.
Outros filmes que assisti e merecem atenção
  • Os Meninos que Enganavam Nazistas - filmes que abordam quaisquer momentos da primeira e da segunda guerra mundial sempre chamam minha atenção. É um filme muito bom, você precisa assistir.
  • Dupla Explosiva - quase morri de rir, colocar um personagem sério junto com outro que é zoeiro demais é quase certo que vai ser bom.
  • Pequeno Demônio - que criança fofa! É muito divertido e, ultimamente, as crianças estão sendo muito bem selecionadas.
  • Onde Está Segunda? - aquele dramão estilo Orphan Black. Achei demais!
  • Campo Minado - esse é para você que não tem problema em ficar tenso durante umas horinhas.
  • Lion: Uma Jornada Para Casa - uma palavra: emocionante!
Documentários que valem a pena serem vistos
  • What The Health - ultimamente estou bem existencialista e repensando várias coisas na minha vida, inclusive alimentação. Depois que você assiste algo assim, você olha a comida de uma forma diferente.
  • A Conspiração da Vaca: O Segredo da Sustentabilidade - impressionante como o consumo de carne é responsável por tantas coisas ruins que acontecem no nosso organismo e no meio ambiente.
  • O preço da ignorância - independente de ser coxinha, petralha ou qualquer que seja sua visão política, é um documentário muito bom. 
  • Tiros em Columbine - sei que o porte de arma é algo bem controverso e desperta muita polêmica. Desde que houve esse ataque, o assunto é bastante discutido, inclusive aqui no Brasil.
Já assistiu algum da lista? Caso tenha visto ou tenha decidido ver depois de ler esse post, deixe aqui nos comentários.
Até a próxima!

quinta-feira, outubro 19, 2017

ADOTEI DOIS GATOS ADULTOS

Não é novidade para ninguém que eu sou a louca dos gatos, né? Então, uma das coisas que eu mais queria quando comecei a pensar em casar era ter bichinhos de estimação. E aí que toda a convivência com os bichanos do Rodrigo lá na casa da mãe dele me fez ter certeza de que eu queria gatos, pelo menos dois. Para ser bem sincera, eu queria mesmo era quatro, mas por enquanto estou bem feliz morando com apenas dois doidos.

Algo que parece ser surpresa para todo mundo que vê meus filhos é o fato de eles serem adultos. Sim, adotei dois gatos adultos e não me arrependo. Aliás, super recomendo, viu? Tenho uma grande amiga que faz resgates - hoje bem menos, mas ainda faz - e que já chegou a ter onde gatos na casa dela, fora os três cachorros. Desde que nos conhecemos, há pouco mais de três anos, já tínhamos combinado que adotaria um gatinho dela assim que possível.
Certo dia fui visitá-la e tinha um gato novo lá que conquistou meu coração de tão carinhoso que ele era. Assim que cheguei, ele já veio para o meu colo, pedindo carinho e sendo o melhor gato do mundo. Se eu pudesse já teria levado ele para casa, mas meu pai nunca deixaria, foi aí que decidi que quando eu tivesse minha própria casa, se ele ainda estivesse por lá, eu ficaria com ele. Até que finalmente eu e o Rodrigo decidimos que era a hora de juntar as escovas de dente.

Claro que a minha amiga cuidou dele para mim durante todo o tempo em que ocorreu a mudança e ainda trouxe mais um gatinho para fazer companhia para o Mulan, o Obaminha.

Por que adotar um gato adulto?

Sabemos que o que mais tem por aí é gato de rua e que são muito mal tratados, passam fome, frio e quase sempre são mortos. Muito triste pensar nisso. Se você tiver a oportunidade de visitar alguém que faça resgate de animais, sem dúvida seu coração vai amolecer com todas as histórias que essas pessoas têm para contar.

Toda forma de adoção de animais é bem-vinda, você terá alguém que te ama de qualquer forma, mas que tal se, ao invés de olhar apenas para os filhotes você der uma chance aos bichinhos adultos? É uma experiência tão boa quanto ver aquele neném crescer. Além disso quero destacar alguns pontos:
  • É quase certo de que o gatinho já saiba usar caixa de areia, é um trabalho a menos;
  • Além de você, a pessoa que fez o resgate também vai ficar muito feliz, já que é uma grande conquista conseguir um lar para esses bichinhos;
  • Você vai ter um suporte muito bom de alguém que já tem experiência em cuidar de gatos, você acaba economizando com veterinário;
  • Você vai dar uma chance de um gato adulto ter um lar.
Eu tive muita sorte com meus gatos, já que com eles eu ainda ganhei a caixa de areia, um pacotão de ração, uma fonte para eles beberem água e uma planta para eles morderem, já que moro em apartamento. Eu sei que filhotes são irresistíveis, mas acho muito importante a gente dar uma chance aos grandinhos. O Obaminha e o Mulan são ótimos gatos, super carinhosos e depois das 22h eles são possuídos pelo ritmo ragatanga e bagunçam a casa toda, mas eu só consigo achar fofo.

Acho que exagerei na quantidade de fotos né? Mas quem é mãe de gatos vai entender.
Milca Abreu - Blog Sabe o inverno. Design by Berenica Designs.