terça-feira, outubro 13, 2015

LEIA UM CONTO | A TOCA DAS FADAS - CLARA MADRIGANO

Sou daquelas que se assusta quando ouve alguém dizer que não gosta de ler livros, pois fica com preguiça. Realmente não consigo acreditar/entender, mas o mais estranho era quando eu estava na faculdade. DE LETRAS, MINHA GENTE!! Pessoas achavam ruim quando professores pediam a leitura de clássicos, sendo que não tem como você ensinar Literatura para alguém sem conhecer os nossos escritores. Enfim, depois de formada, passei a trabalhar com adolescentes, aí você até que entende. E insiste um pouco.

No entanto, se você é daqueles que realmente não curte uma leitura nas horas vagas ou mesmo não tem tempo para ler, o que é muito comum, eu tenho a solução: contos. Para quem não sabe, um conto é uma narrativa breve e concisa, contendo um só conflito, uma única ação (com espaço ger. limitado a um ambiente), unidade de tempo, e número restrito de personagens (Wikipedia). Por ser curto, não toma muito o seu tempo, você se diverte e pode ler em qualquer lugar.

A Editora Draco possui vários contos no formato digital disponíveis gratuitamente para download e, curiosa do jeito que sou, no instante em que soube dessa maravilha, tratei de baixar todos os que estavam lá, pois como tenho um pouco de insônia, eu apago a luz e leio ali mesmo, no celular ou iPad, e deitadinha na minha cama até o sono chegar. O conto que trago hoje se chama A toca das fadas, de Clara Madrigano.

A história é classificada como terror e fala sobre Jack e seu irmão, que encontram a toca das fadas, mas logo percebem que elas não são simpáticas como se imagina. Eles insistem em chamar a atenção delas até que um dia, ao que parece, um ataque das fadas a Jack o fez querer se vingar delas. Elas vão atrás do Jack e a partir dai ninguém mais tem notícias dele. A única coisa que sobrou foi um tênis com as marcas de mordidas. O conto não para ai. Acontecem muitas coisas entre um parágrafo e outro.

O conto é bem interessante e dá um medinho. O lado ruim desse tipo de literatura é que você torce para que continue, mas você tem que dar uma sequência apenas na sua imaginação. Fico pensando, será que se elas, as fadas existissem de verdade seriam doces e amigas como a Sininho? Ou elas seriam criaturas demoníacas e horrendas? O que você acha?


Acompanhe o blog nas redes sociais

sexta-feira, outubro 09, 2015

UM FILME, UMA SÉRIE E UMA MÚSICA

Não estou em um momento daqueles de ler todos os livros disponíveis, mas uma das coisas boas de se planejar é que você consegue fazer bem mais coisas do que quando só improvisa. No meu caso, consigo ser as 15 Milcas diferentes que existem aqui dentro e satisfazer as vontades de cada uma delas. Como eu disse segunda-feira, nesse post, intensifiquei meus estudos e agora eles são prioridade, o que, claro, não me impede de fazer algumas coisas por enquanto. 
Algumas semanas atrás, assisti Que horas ela volta? Um filme que me surpreendeu de todas as formas. Para quem está acostumado com Regina Casé no Esquenta vai ficar surpreso com a atuação dela. Não lembro de nenhum outro filme com ela e talvez esse seja um dos motivos pelos quais achei o filme incrível, já que ela ficou incrível. O filme é dirigido por Anna Muylaert e conta sobre Val, uma empregada que, depois de passar maus momentos nas mãos do ex-marido, deixou sua filha em Pernambuco e foi trabalhar em São Paulo. Já grande, sua filha decide estudar em São Paulo e a família para quem Val trabalha a recebe muito alegremente. No entanto, ao deixar de seguir certas regras de "empregados" a situação muda e a garota já não é bem vinda. Vale muito a pena assistir, pois retrata muito bem a diferença de classes sociais, sabe, aquela coisa de "sorvete do patrão" e "sorvete do empregado". Além disso, a proximidade entre Fabinho, o filho da patroa com a Val mostra um pouco como é a criação da maioria das crianças ricas. Longe dos pais. Sem contar que é um apa na cara de quem acha que o filho da empregada não consegue entrar em uma universidade pública. Um filme realmente muito bom.
Mudando de assunto, assisti ao primeiro episódio de Scream Queens. Quando acabar a primeira temporada, venho falar mais sobre ela, mas a princípio posso dizer que "é a melhor coisa ruim que já vi na vida" - palavras sábias de alguém na internet sobre a série, não lembro quem disse. Imagine uma série como Scream, só que na zueira. É muito zueira. Achei o máximo a ideia, sem falar que eu adoro as atrizes Jamie Lee Curtis e Emma Roberts e tem a Ariana Grande, gente! Ri horrores, porque até então eu não sabia quem ela era. Ah, e tem Nick Jonas   
E para encerrar o post, deixo para vocês a música que não sai da minha cabeça há dias e está no repeat do iPod.


Acompanhe o blog nas redes sociais

segunda-feira, outubro 05, 2015

CALOR, LIVROS, ESTUDOS E CAMINHADAS...

Inicio esse post dizendo que não aguento mais tanto calor em Brasília. Está demais! Chega! Preciso de frio e chuva. Hoje até que ameaçou, mas o calor está de matar e muito abafado, quero apenas chorar. O que mais irrita é que não há o que fazer além de aceitar. E o ventilador? Parece que sai fogo. Enfim, mesmo com todo esse calor, a semana começou com algumas mudanças.

Como eu falei outras vezes, agora sou colaboradora no blog Pensamentos Valem Ouro e estou fazendo resenha de livros e provavelmente darei dicas de filmes e séries em breve e vocês já podem ver as duas primeiras resenhas que fiz. São livros da série Hush, Hush. O primeiro é Sussurro e o segundo, Crescendo e se você curte histórias de anjos, corre lá. Ainda no Pensamentos Valem Ouro, estou participando do Book Tour - Sem te conhecer. O livro é da Lya Gallavote, escritora brasileira que já fisgou meu coração.
Mudando de assunto, a gatinha do meu noivo teve filhotes mais uma vez. Pois é, ela não é castrada e dessa vez, não sei por qual motivo, os gatinhos estão com dificuldades para mamar e minha sogra precisa dar leite para eles com uma seringa. Eles são super agitados e eu morro de rir. Além disso, família agora conta com um novo membro. É uma cachorrinha, a Lilica. Ela é engraçada e, por ter apenas sete meses de idade, é uma verdadeira espoleta.
Agora vamos falar das mudanças que começaram hoje. Acordei por volta de 6h30 da manhã com um cronograma de estudos prontinho, que eu já tinha feito semana passada. Eu sempre fui muito de estudar. Dava vontade de estudar determinado assunto, ia lá, pegava o livro e estudava. Às vezes me achava um E.T., já que ninguém, eu acho, nessa vida, pega transitividade verbal para estudar às 23h só porque está sem sono. A questão é que eu preciso passar em um concurso público e como eles estão cada vez mais escassos, preciso me dedicar muito mais e não dá para estudar de qualquer jeito. Por isso estabeleci uma rotina de estudos e nas próximas semanas, minha vida já está toda programada e torço para que nenhuma eventualidade mude o curso das coisas, senão eu terei um colapso.
Também estou fazendo caminhadas, mas dessa vez é de verdade. Como eu simplesmente detesto academia, vou comprar alguns equipamentos para me exercitar em casa mesmo e, assim, complementar as caminhadas. Vejam bem, não estou de dieta, só preciso me exercitar, visto que a prática de exercícios físicos é fundamental para quem estuda. Dizem por aí. 
Ah, essa última foto é como minha mesa está agora, super arrumada e com tudo o que preciso para estudar em mão e essas estrelinhas são do app Lumié, que, por incrível que pareça, ganhei um promocode em um sorteio do blog Memorialices, pasmem!
Não vou abandonar o blog, pois consigo administrar tudo muito bem, então este não é um post de despedida, muito menos para justificar alguma coisa, tudo continuará normal, certo?

Acompanhe o blog nas redes sociais


sexta-feira, outubro 02, 2015

SÉRIE | FEAR THE WALKING DEAD

Quem lembra da minha ansiedade para ver Fear The Walking Dead? A série estreou e eu fui correndo saber de qual era, já que a palavra ansiedade me define. Como vocês sabem, eu amo zumbis, acho o máximo e por mais que a história seja ruim eu gosto de conhecer. Se você já assistiu The Walking Dead, existem duas possibilidades: você ama ou você odeia e é exatamente a mesma coisa com FTWD, que no meu caso, amo e odeio.
Lá no início, quando estreou TWD, o Sr. Kirkman disse que não mostraria na série como tudo começou, pois já existiam muitas outras histórias que mostravam o que causou o apocalipse zumbi. Para ele seria perda de tempo. Ok. Algum tempo depois, ele nos presenteou com a série de livros sobre a Ascensão do Governador e em dados momentos é mostrado uma coisa ou outra sobre o início.
Bom, em FTWD mostra exatamente o início de tudo e o começo do caos, porém eu imaginei que o foco seria um laboratório e agentes do governo fazendo experimentos e de repente BUM!! Mas não é bem assim. As pessoas ficam sabendo umas pelas outras, embora ninguém saiba ao certo o que está acontecendo, e realmente não tem nada de governo. Aliás, estou achando tudo rápido demais.
São seis episódios, assim como a primeira temporada de The Walking Dead, que eu gostei, mas criei muitas expectativas. Confesso que até agora não li sobre quantas temporadas a série terá e acredito que tudo será muito melhor explicado em breve, entretanto tenho meus medinhos sabe. Eu gosto muito da franquia, mas acho que eles enchem muita linguiça. Estou torcendo muito para que as próximas temporadas sejam mais detalhistas sobre a criação do vírus e como ele se espalhou.
Quanto aos personagens, bom, só tem um que tem me irritado muito: Nicholas Clark. Que garoto irritante. Dependente químico, cheio de problemas e permite que sua mãe corra riscos apenas para conseguir seus remédios. Fora ele, gosto dos demais.
Mesmo que não tenha sido exatamente como eu pensava, tenho grandes expectativas - mas com o pé atrás - para a série. Tudo ainda está focado nas famílias e as relações complexas que existem nelas, por isso acho que o clima ainda está muito dramático e pouquíssima ação. Torço para que isso mude e passem a focar no que eu já disse antes. O último episódio vai ao ar domingo, 04/10 e talvez eu reclame muito no Twitter, por isso me acompanhe por la @milcaabreu.

Acompanhe o blog nas redes sociais


Milca Abreu - Blog Sabe o inverno. Design by Berenica Designs.