Posts in the category: Viagem

segunda-feira, abril 06, 2020

Lugares para comer em Ouro Preto

Olha, eu ainda nem acredito que conheci meu lugar preferido no Brasil: Ouro Preto. Lá, o que não falta é opção de diversão, cultura e alimentação. Mas quero indicar aqui alguns lugares para comer em Ouro Preto que eu simplesmente amei.

Como eu disse, existem inúmeros lugares e opções para alimentação, mas quero indicar aqui alguns lugares bem legais e diferentes, como por exemplo, o Meu Waffle. A loja é bem escondida, mas fica bem na Praça Tiradentes.


O cardápio é bem variado e além dos waffles doces, você encontra waffles de sal e também batatas, Batata sempre cai muito bem em qualquer ocasião, concordam?

Um lugar legal que também adorei conhecer foi o Ópera Café. Antes de ir para Ouro Preto todas as pessoas que eu conheço que já haviam ido para lá, me disseram que eu precisava tomar chocolate quente lá. 

Confesso que pulei o chocolate quente e como sempre, procurei cafeterias por lá. Tomar um café com a vista mais linda da vida, não tem preço. Aliás, tem, mas vale cada centavo.


Mas eu sei que você também está pensando onde almoçar em Ouro Preto. Fiquei pensando depois por qual motivo eu não fotografei os lugares em que almocei. Mas é assim mesmo, em viagem algumas coisas não são fotografadas ainda mais em horário de almoço que é quando eu simplesmente foco apenas na minha fome.

Entretanto, quero indicar aqui dois restaurantes para você almoçar que são próximos ao centro e que têm valores muito bons, sem contar o cardápio maravilhoso.

O Restaurante Tiradentes é bem simples e foi o mais barato que encontrei. O cardápio é muito bom, gostei da localização e o atendimento foi ótimo. Ele fica na Rua Amalia Bernhaus 25, Centro. Alguns funcionários podem te abordar na rua e entregar um cartão, pegue, pois ele garante ainda um descontinho. Pagamos R$10 reais com um copo de suco.

O restaurante O Sótão fica na rua dos bancos e é um pouco mais caro, mas compensa, pois o cardápio é muito variado e grande. Você tem muitas opções de massas e sobremesas. É fácil de achar, fica em cima do Banco do Brasil. Se bem me lembro pagamos em torno de R$35.

Fica minha indicação aqui e espero que aproveitem bastante.

*Viagem feita em Outubro/2019.

segunda-feira, março 02, 2020

Conhecemos três minas de ouro desativadas em Ouro Preto

Mesmo depois de já ter feito outra viagem - que em breve será contada aqui -, ainda continuo contando para vocês sobre como foi nossa ida a Ouro Preto. Acredito que foi uma das melhores viagens que já fiz até agora, sei que outras virão, mas amei cada segundo daqueles dias.

Tem muita, mas muita coisa para fazer na cidade e uma delas é conhecer algumas das várias minas de ouro desativadas que existem por lá. Tá, preciso confessar que é meio claustrofóbico, mas a história é incrível e o conhecimento que você traz de lá de dentro é impagável.

Como o título da postagem diz, fomos em três minas. A primeira foi a Mina Du Veloso, a segunda foi a Mina Jeje e a terceira, 13 de Maio. Em ambas, antes de entrar na mina, um guia conversa com você e dá uma super aula de história, daquelas que a escola nunca deu.

A Mina Du Veloso foi uma experiência incrível. Como foi a primeira, acho que isso me impactou de uma forma que nem sei explicar. 

A visita é guiada e o rapaz que foi com a gente, contou tudo sobre o início da cidade de Ouro Preto, falou sobre o tal ouro de tolo e contou sobre a vinda dos africanos para cá. 

Antiga galeria subterrânea utilizada para extração de ouro nos séculos XVIII e XIX que atualmente foi adaptada para visitação turística. As visitas são guiadas e durante o trajeto são repassadas informações sobre o ciclo do ouro, que moldou nosso país. É dada ênfase especial ao mineradores africanos que realizaram os trabalhos e nunca eram lembrados. mostramos o protagonismo, o conhecimento e origem dos africanos que vieram sequestrados para os trabalhos da mineração setecentista. Na recepção há loja de arte, artesanato e joalheria, além de sanitários para os visitantes. (Fonte: Site Tripadivisor)
Na Mina Jeje, apesar de já saber um pouco sobre a história, o rapaz que nos guiou tinha um domínio total do que estava falando e mostrou a todo momento que tinha propriedade naquilo que estava explicando. Estávamos só nós três, então pudemos ter um contato mais pessoal, o que particularmente acho muito bom em viagens.
A cidade de Ouro Preto foi palco de intensas atividades de mineração do ouro no período colonial (Século XVIII), que deixaram remanescentes e vestígios até os dias atuais. Datada de 1714, a Mina Jeje proporciona ao visitante uma imersão ao período colonial contextualizada com o sábio processo de mineração e o traumático período da escravidão. A Mina Jeje, dada como a mais bela galeria subterrânea de Ouro Preto, revela uma verdadeira viagem no tempo. (Fonte: Site Tripadivisor)
A Mina 13 de Maio é bem pouco citada na maioria dos sites e blogs que falam sobre Ouro Preto e não entendo o motivo, já que é uma mina tão incrível quanto as outras e o guia foi super atencioso e paciente. Paciente, preciso dizer, pois o grupo em que fomos agraciados foi bem complicado. 

Começou com um cara, visitante, 15 minutos ao telefone enquanto esperávamos para entrar na mina. Total falta de noção - e educação. Junto tinha um garotinho de uns 10 anos que certamente não tem o costume de ter limites impostos. Enfim.
Foi uma visita chata por causa desses contratempos, porém enriquecedora.
A Mina 13 de Maio é uma das minas mais antigas de Ouro Preto, que possibilita o visitante conhecer 180 metros de mina apreciando todo trabalho de exploração que foi feito para a retirada do ouro no Século XVIII. Pode-se apreciar também, a formação geológica da mina, através do conjunto de rochas ou minerais de características próprias, em relação à sua composição, idade, origem ou outras propriedades similares. Dentre os minerais de características próprias podemos citar o OCRE, argila colorida por óxido de ferro hidratado, com várias tonalidades pardacentas, aproximando-se do amarelo ou do vermelho empregado em pintura.
Algumas pessoas me questionaram por que não fomos à Mina da Passagem de Mariana. Eis aqui a minha explicação: trata-se de uma mina mais moderna e o preço do ingresso é bem alto. Como nos interessamos mais pela história mais antiga, não sentimos muita vontade de conhecê-la, apesar de termos passado na frente na volta de Mariana.

Algumas últimas considerações: as três minas são muito bem iluminadas e cada uma possui suas peculiaridades. O equipamento de proteção é oferecido pelo estabelecimento e a toquinha branca é apenas questão de higiene, logo não precisa prender todo o cabelo. Só me disseram isso la na Jeje

Se for a Ouro Preto, não perca a oportunidade de visitar nem que seja uma mina de ouro desativada. É algo que, sem dúvida, muda sua forma de pensar a respeito de muitas questões sobre o mundo.

Visitar Ouro Preto, num contexto geral, me fez refletir sobre a história do nosso país. A nossa história. É uma viagem cultural que te ensina muito e mesmo aquele ditado popular que usamos no dia-a-dia não terá mais o mesmo significado depois que você conhece mais a história do povo que foi escravizado.

______________________________________________________

Mina du Veloso
Endereço: R. Levindo Inácio André, 180 – São Cristóvão – Ouro Preto
Telefone: (31) 3551-0792
Horário de funcionamento: diariamente, das 9h às 18h
Valor: R$ 30,00 a inteira e R$ 15,00 a meia* – aceita apenas dinheiro.

Mina Jeje
Entrada: Inteira R$30,00. Meia R$15,00* para: professores, estudantes mediante apresentação de carteirinha escolar ou declaração da escola, idosos brasileiros acima dos 65 anos de idade mediante apresentação de RG. Isenção para: crianças até sete anos de idade mediante apresentação de certidão de nascimento ou RG, Ouro-pretanos que apresentarem comprovante de residência ou RG, guias turísticos devidamente credenciados e mediante apresentação de crachá vinculado a instituição de turismo.
Horários de funcionamento: Aberta para visitação todos os dias, das 9 às 17 horas.
Endereço: Rua Chico Rei, 371, Alto da Cruz – Ouro Preto
E-mail: deividfnx21@gmail.com
Telefone: +55(31)98591-8375

Mina 13 de Maio
Rua 13 de Maio n°67, Alto da Cruz Tel.: +55 (31) 3552-1685
 Visitações: Segunda à Domingo das 08:30 às 17:00 h .  R$25,00*.

*Valores de outubro de 2019

segunda-feira, janeiro 20, 2020

PASSEIO DE TREM OURO PRETO/MARIANA, VALE A PENA?

Uma das minhas maiores dúvidas quanto à ida a Ouro Preto era se valeria a pena fazer um passeio até a cidade de Mariana no trem da Vale. A resposta é: sim, vale a pena, mas não acabou o post, quero contar sobre minha experiência.

A primeira coisa que quero dizer é: vá cedo para que você possa conhecer os arredores da estação - que é lindo,  mas não deu tempo de olhar direito e fotografar. Nós acabamos pegando o último horário e fazer as coisas na correria é horrível.

Confesso que é uma experiência muito legal. Quando nós fomos a Bento Gonçalves no Rio Grande do Sul, eu queria muito fazer o passeio de maria fumaça, mas não deu, então meio que me senti na obrigação de fazer o passeio dessa vez em Ouro Preto. Talvez eu nunca me perdoaria se não tivesse feito.




Mas como nem tudo nessa vida é perfeito, tivemos o prazer de ir a viagem inteira com uma criança gritando em companhia da buzina do trem. Eu desanimei um pouco por causa disso. Minha cabeça doeu horrores, mas fazer o quê, certo?

Uma coisa que vale a pena fazer é comprar a passagem para o assento perto da janela, se você for em dupla, vá um no banco da frente e um no de trás. Assim dá para ver tudo melhor. É só explicar para as atendentes, elas já sabem e entendem bem nossa linguagem de turista.

Preciso dizer que dá muita aflição lembrar dos desastres de Bento Rodrigues e Brumadinho. Apesar de não serem tão perto a ponto de causar medo, é muito triste lembrar da tragédia. Por não ser muito próximo, o rompimento da barragem de Mariana não afetou o centro da cidade. 

Quando chegamos em Mariana, acabamos não andando muito, eu estava muito cansada mesmo e por mim eu já teria voltado na hora que descemos do trem, mas o Rodrigo ainda quis dar uma olhada.


Compensa voltar de ônibus e algumas pessoas costumam visitar a Mina da Passagem. Não fomos, porque eu achei bastante cara e nós já havíamos conhecido outras minas. Além disso, a Mina da Passagem é estilo moderninha, então não vi muita graça.


Não lembro exatamente quanto pagamos, mas como era baixa temporada o valor era menor, mas você pode comprar as passagens pela internet (aqui). 

É bem divertido. Como eu disse ali em cima vale a pena sim, a paisagem é bem bonita e é uma experiência diferente.

quinta-feira, janeiro 09, 2020

O QUE FAZER EM OURO PRETO, MINAS GERAIS

Parece que o ano começou de verdade do lado de cá e acredito que já passou da hora de compartilhar com vocês algumas dicas de Ouro Preto. Daqui a algumas semanas eu vou para o Rio de Janeiro, então vamos logo falar sobre a última viagem que foi nada menos que incrível!

Nós fomos na segunda semana de outubro de 2019 e ficamos uma semana por lá. Sempre foi um sonho conhecer a cidade. Acredite ou não, depois de Gramado, era o lugar que eu mais queria conhecer no Brasil desde a época da faculdade. É uma aula que você tem a cada visita que faz nos museus de Ouro Preto.

O que não falta é o que fazer na cidade. Como vocês sabem, eu amo museus, então me senti realizada. Nós fomos nas igrejas mais famosas e próximas ali do centro. É sempre bom você se localizar por meio do Google Maps, porque às vezes a sensação é que estamos num labirinto. Um lindo labirinto.
Ouro Preto é conhecida por ser uma cidade histórica fundada em 1711. É cheia de igrejas que contam histórias por meio de suas arquiteturas incríveis. O artista Aleijadinho basicamente resume a cidade, assim como o Mestre Ataíde e diversos outros artistas que contribuíram para a beleza de Ouro Preto.

Visitar as igrejas

São muitas igrejas. Na época da construção, construir igrejas era meio que tendência, então são várias, lindas e bem antigas. As que visitamos  e que mais gostei foram:

-Igreja de São Francisco de Assis, fica perto da feirinha de pedra sabão. 
-Basílica de Nossa Senhora do Pilar, é a mais impressionante de todas. São mais de 400kg de ouro que compõem a arquitetura interior da igreja.
-Igreja de Nossa Senhora do Rosário, sem dúvida era a que mais eu queria conhecer, já que é a que aparece com mais frequência nos livros de história, arte e literatura. Pena que não estava aberta para visitação.
-Igreja de Santa Efigênia é linda, porém é bem distante e nós pagamos um carro pra nos levar até lá. 
-Igreja Nossa Senhora das Mercês e Misericórdia, ela fica bem próxima da praça Tiradentes, super fácil de encontrar, mas também não estava aberta a visitação.
Conhecer os museus

Acredito que o museu mais conhecido é o da Inconfidência, já que ele fica na principal praça da cidade. Entretanto, têm vários outros super interessantes que valem super a pena conhecer.

-Museu da Inconfidência
-Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas, é incrível! Imenso e você sai de lá imensamente feliz por aprender tanto em pouco tempo.
-Museu do Oratório

Esses são os principais que lembrei, mas acredite, tem vários outros.
Conheça também:

-Teatro e museu Casa da Ópera, é o museu mais antigo em funcionamento e está no Guiness Book. É bem aqueles filmes antigos e dá impressão de que vai aparecer um fantasma a qualquer momento.
-Feira de Pedra-Sabão, para mim o melhor lugar para comprar lembracinhas para a família e amigos. 
-Ponte dos Suspiros, para quem não leu Marília de Dirceu, segue uma pequena explicação: Ponte do Antônio Dias. É a única ponte romana existente na cidade, construída sobre o córrego de Antônio Dias. É Terceira ponte citada por Gonzaga, ficou conhecida como 'Ponte de Marília' ou 'Ponte dos Suspiros'.
-Casa de Tomas Antônio Gonzaga, casa do poeta, com uma vista linda e vários trechos do livro.
De verdade, tem muita coisa para conhecer em Ouro Preto. Acho que o post ficaria imenso se eu colocasse aqui todos os lugares que visitamos. Mas esses são alguns dos pontos principais e chegando lá com certeza você será levado pela cidade.

Em outro post vou contar mais sobre o que fizemos por lá em uma semana e também sobre nossa passagem por Mariana.

Espero que tenham gostado do post e não esqueçam de comentar.
Milca Abreu - Blog Sabe o inverno. Design by Berenica Designs.