segunda-feira, janeiro 20, 2020

PASSEIO DE TREM OURO PRETO/MARIANA, VALE A PENA?

Uma das minhas maiores dúvidas quanto à ida a Ouro Preto era se valeria a pena fazer um passeio até a cidade de Mariana no trem da Vale. A resposta é: sim, vale a pena, mas não acabou o post, quero contar sobre minha experiência.

A primeira coisa que quero dizer é: vá cedo para que você possa conhecer os arredores da estação - que é lindo,  mas não deu tempo de olhar direito e fotografar. Nós acabamos pegando o último horário e fazer as coisas na correria é horrível.

Confesso que é uma experiência muito legal. Quando nós fomos a Bento Gonçalves no Rio Grande do Sul, eu queria muito fazer o passeio de maria fumaça, mas não deu, então meio que me senti na obrigação de fazer o passeio dessa vez em Ouro Preto. Talvez eu nunca me perdoaria se não tivesse feito.




Mas como nem tudo nessa vida é perfeito, tivemos o prazer de ir a viagem inteira com uma criança gritando em companhia da buzina do trem. Eu desanimei um pouco por causa disso. Minha cabeça doeu horrores, mas fazer o quê, certo?

Uma coisa que vale a pena fazer é comprar a passagem para o assento perto da janela, se você for em dupla, vá um no banco da frente e um no de trás. Assim dá para ver tudo melhor. É só explicar para as atendentes, elas já sabem e entendem bem nossa linguagem de turista.

Preciso dizer que dá muita aflição lembrar dos desastres de Bento Rodrigues e Brumadinho. Apesar de não serem tão perto a ponto de causar medo, é muito triste lembrar da tragédia. Por não ser muito próximo, o rompimento da barragem de Mariana não afetou o centro da cidade. 

Quando chegamos em Mariana, acabamos não andando muito, eu estava muito cansada mesmo e por mim eu já teria voltado na hora que descemos do trem, mas o Rodrigo ainda quis dar uma olhada.


Compensa voltar de ônibus e algumas pessoas costumam visitar a Mina da Passagem. Não fomos, porque eu achei bastante cara e nós já havíamos conhecido outras minas. Além disso, a Mina da Passagem é estilo moderninha, então não vi muita graça.


Não lembro exatamente quanto pagamos, mas como era baixa temporada o valor era menor, mas você pode comprar as passagens pela internet (aqui). 

É bem divertido. Como eu disse ali em cima vale a pena sim, a paisagem é bem bonita e é uma experiência diferente.

quinta-feira, janeiro 16, 2020

O FUNDO É APENAS O COMEÇO - NEAL SHUSTERMAN

SinopseUma poderosa jornada da mente humana, um mergulho profundo nas águas da doença mental.
.
CADEN BOSCH está a bordo de um navio que ruma ao ponto mais remoto da Terra: Challenger Deep, uma depressão marinha situada a sudoeste da Fossa das Marianas.
.
CADEN BOSCH é um aluno brilhante do ensino médio, cujos amigos estão começando a notar seu comportamento estranho.
.
CADEN BOSCH é designado o artista de plantão do navio, para documentar a viagem com desenhos.
.
CADEN BOSCH finge entrar para a equipe de corrida da escola, mas na verdade passa os dias caminhando quilômetros, absorto em pensamentos.
.
CADEN BOSCH está dividido entre sua lealdade ao capitão e a tentação de se amotinar.
.
CADEN BOSCH está dilacerado.
.
Cativante e poderoso, O Fundo é Apenas o Começo é um romance que permanece muito além da última página, um pungente tour de force de um dos mais admirados autores contemporâneos da ficção jovem adulta.

★★★★★/5

Sabe aquele livro que você começa sem dar muita atenção e começa muitas vezes só porque ele está lá na estante te encarando? Então, O fundo é Apenas o Começo, comigo, foi mais ou menos assim.

Eu comprei faz um tempo, pois estava na promoção e confesso que nem lembro se cheguei a olhar a sinopse. 

Resolvi das uma chance a ele agora no início do mês e estou completamente apaixonada e sem palavras para descrever o quanto esse livro é necessário.

Além de livros policiais e de terror, eu também AMO livros que abordam temas como doenças psicológicas e psiquiátricas.

Eu faço tratamento para depressão, como a maioria de vocês deve saber, e já trabalhei como professoras de alunos especiais. Então para mim é super importante ler sobre esses temas e encontrar personagens que representam como nos sentimos.

Em O fundo é apenas o começo o autor Neal Shusterman não fala diretamente qual é o espectro em que o Caden está. Mas dá para entender que ele sofre de esquizofrenia.

No começo eu fiquei meio perdida sem saber que história era aquela de navio e capitão e papagaio. Depois tudo vai fazendo sentido e você passa a ligar os pontos e entender melhor.

A história toda é muito incrível e extremamente necessária. Entretanto algo que me fez admirar mais ainda o Neal Shusterman é que nas páginas finais ele explica que o livro foi baseado em sua experiência com seu filho, que é o responsável pelas ilustrações ao longo do livro.

Demorei um pouco para pegar o ritmo da leitura, mas compensou bastante e sem dúvida é um livro que todos deveriam ler. 

Entender o pouco que seja sobre esquizofrenia já é um grande passo para acabar com o preconceito e também para ter um pouco de empatia. É tudo que precisamos.



Título: O fundo é apenas o começo
Autor: Neal Shusterman e Brendan Shusterman
Páginas: 272
Ano: 2018
Editora: Valentina
I.S.B.N: 9788558890625

Siga no Skoob.


quarta-feira, janeiro 15, 2020

A MULHER NA JANELA - A.J. FINN

Sinopse: Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e... espionando os vizinhos. Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir. Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle? Neste thriller diabolicamente viciante, ninguém – e nada – é o que parece. "A Mulher Na Janela" é um suspense psicológico engenhoso e comovente que remete ao melhor de Hitchcock.
★★★★/5

Vocês também pegam o gancho de lançamentos de filmes e aproveitam para ler o livro? Eu costumo fazer muito isso, tanto com filmes quanto com séries. 

Desde que fiquei sabendo que em agosto sai a adaptação de A Mulher na Janela eu fiquei louca para ler o livro logo. Nem precisei andar muito. Precisei ir nas Lojas Americanas e lá estava ele em promoção. Não resisti e trouxe para casa.

Preciso dizer que, apesar de ter gostado da história no geral, o livro é bem previsível. Desde o início eu imaginava como seria o final e não foi muito diferente do que pensei.

Ainda assim, é um livro que vale a pena super de ler, pois é muito suspense do início ao fim e sim, a história te prende bastante.

Gostei da estrutura em que a história é contada, intercalando momentos do presente e do passado, que levaram Anna Fox a desenvolver o transtorno que a impede de sair de casa.

Fiquei me perguntando durante muito tempo o motivo pelo qual o marido da Anna Fox falava com ela tão tranquilamente no telefone, sendo que estão separados já há algum tempo. O motivo é bem interessante.

Mesmo a história sendo um pouco previsível, tenho certeza de que você ainda vai se surpreender com o final. E mais do que nunca os romances policiais me ensinam a não confiar em ninguém.

Uma coisa que não gostei de verdade é que o autor A. J. Finn enrola muito nos detalhes. Acredito que se ele fosse objetivo e direto o livro teria no máximo umas 150 páginas.

Mas dá para aguentar até o fim. Vai por mim.

Você já leu esse livro? Ficou sabendo do lançamento? Deixe seu comentário para eu saber o que você achou.

Título: A mulher na Janela
Autor: A. J. Finn
Páginas: 352
Ano: 2018
Editora: Arqueiro
I.S.B.N: 9788580418323

Siga no Skoob.



quinta-feira, janeiro 09, 2020

O QUE FAZER EM OURO PRETO, MINAS GERAIS

Parece que o ano começou de verdade do lado de cá e acredito que já passou da hora de compartilhar com vocês algumas dicas de Ouro Preto. Daqui a algumas semanas eu vou para o Rio de Janeiro, então vamos logo falar sobre a última viagem que foi nada menos que incrível!

Nós fomos na segunda semana de outubro de 2019 e ficamos uma semana por lá. Sempre foi um sonho conhecer a cidade. Acredite ou não, depois de Gramado, era o lugar que eu mais queria conhecer no Brasil desde a época da faculdade. É uma aula que você tem a cada visita que faz nos museus de Ouro Preto.

O que não falta é o que fazer na cidade. Como vocês sabem, eu amo museus, então me senti realizada. Nós fomos nas igrejas mais famosas e próximas ali do centro. É sempre bom você se localizar por meio do Google Maps, porque às vezes a sensação é que estamos num labirinto. Um lindo labirinto.
Ouro Preto é conhecida por ser uma cidade histórica fundada em 1711. É cheia de igrejas que contam histórias por meio de suas arquiteturas incríveis. O artista Aleijadinho basicamente resume a cidade, assim como o Mestre Ataíde e diversos outros artistas que contribuíram para a beleza de Ouro Preto.

Visitar as igrejas

São muitas igrejas. Na época da construção, construir igrejas era meio que tendência, então são várias, lindas e bem antigas. As que visitamos  e que mais gostei foram:

-Igreja de São Francisco de Assis, fica perto da feirinha de pedra sabão. 
-Basílica de Nossa Senhora do Pilar, é a mais impressionante de todas. São mais de 400kg de ouro que compõem a arquitetura interior da igreja.
-Igreja de Nossa Senhora do Rosário, sem dúvida era a que mais eu queria conhecer, já que é a que aparece com mais frequência nos livros de história, arte e literatura. Pena que não estava aberta para visitação.
-Igreja de Santa Efigênia é linda, porém é bem distante e nós pagamos um carro pra nos levar até lá. 
-Igreja Nossa Senhora das Mercês e Misericórdia, ela fica bem próxima da praça Tiradentes, super fácil de encontrar, mas também não estava aberta a visitação.
Conhecer os museus

Acredito que o museu mais conhecido é o da Inconfidência, já que ele fica na principal praça da cidade. Entretanto, têm vários outros super interessantes que valem super a pena conhecer.

-Museu da Inconfidência
-Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas, é incrível! Imenso e você sai de lá imensamente feliz por aprender tanto em pouco tempo.
-Museu do Oratório

Esses são os principais que lembrei, mas acredite, tem vários outros.
Conheça também:

-Teatro e museu Casa da Ópera, é o museu mais antigo em funcionamento e está no Guiness Book. É bem aqueles filmes antigos e dá impressão de que vai aparecer um fantasma a qualquer momento.
-Feira de Pedra-Sabão, para mim o melhor lugar para comprar lembracinhas para a família e amigos. 
-Ponte dos Suspiros, para quem não leu Marília de Dirceu, segue uma pequena explicação: Ponte do Antônio Dias. É a única ponte romana existente na cidade, construída sobre o córrego de Antônio Dias. É Terceira ponte citada por Gonzaga, ficou conhecida como 'Ponte de Marília' ou 'Ponte dos Suspiros'.
-Casa de Tomas Antônio Gonzaga, casa do poeta, com uma vista linda e vários trechos do livro.
De verdade, tem muita coisa para conhecer em Ouro Preto. Acho que o post ficaria imenso se eu colocasse aqui todos os lugares que visitamos. Mas esses são alguns dos pontos principais e chegando lá com certeza você será levado pela cidade.

Em outro post vou contar mais sobre o que fizemos por lá em uma semana e também sobre nossa passagem por Mariana.

Espero que tenham gostado do post e não esqueçam de comentar.

sexta-feira, janeiro 03, 2020

ALERTA DE TEXTÃO

Olá, pessoas queridas que ainda visitam esse site!! Bom, meu último post foi em outubro e acho que já está mais do que na hora de voltar né? Ainda mais que um novo ano começou e eu realmente quero dar uma nova cara a esse humilde espaço.

Em primeiro lugar quero dizer que desde que criei o blog Sabe o inverno? - que na verdade começou como The Winter  is Now - muita coisa mudou e eu mudei bastante. O blog  cresceu e eu tive medo que esse crescimento mudasse minha vida de alguma forma. Por isso muitas vezes deixei de fazer coisas por medo desse tal crescimento.

Apesar de amar a internet, eu nunca levei o blog como uma fonte de renda de verdade, apesar de ter gerado alguma renda de alguma forma. Mas esse nunca foi meu foco. 

De uns tempos para cá andei pensando muito na questão de ter parcerias com editoras. Lembro que durante muito tempo eu me  recusava a participar das seleções, pois eu queria indicar somente aquilo que eu quisesse. E foi assim, mesmo com as editoras. Embora seja uma coisa muito legal receber livros todo mês em casa, confesso que isso me causou certa ansiedade. 

Ter prazo para ler e entregar uma resenha não me fez muito bem e isso fez com que meu ritmo aqui no blog caísse muito. Não quero que o blog continue sendo uma "obrigação", quero que as coisas sejam naturais como sempre foram.

Em virtude disso eu decidi que esse ano não farei parceria com editoras e não vou me apegar à ideia de que eu tenho que ter essas parcerias para algo dar certo.

O ano de 2020 provavelmente será bem corrido, já que é ano de concurso e mais uma vez eu vou dedicar a maior parte do meu tempo em busca da realização desse sonho que já passou de sonho e é questão de honra. Acrescento ainda que também trarei dicas de estudos - principalmente no Instagram, segue lá - porque sei que vocês também curtem muito.

Para não dizer que vou encerrar totalmente as parcerias, vou continuar com uma (pois temos uma dinâmica muito legal) e ainda assim continuarei aberta a novas propostas, mas tudo no meu tempo.

Dito tudo isso, quero acrescentar que o blog não morreu e eu acredito que este ano será diferente por aqui. Quero que seja diferente. 

Espero que vocês continuem me acompanhando e desejo um ano maravilhoso para todos nós.


Milca Abreu - Blog Sabe o inverno. Design by Berenica Designs.