CRÔNICAS DESPIDAS E VESTIDAS - BETTY MINDLIN

Sinopse: A antropóloga Betty Mindlin compartilha nestas páginas suas experiências e impressões vividas entre povos indígenas e personagens intelectuais. O livro divide-se em duas partes. Na primeira delas, “Crônicas despidas”, a autora expõe uma variedade de assuntos relacionados ao universo indígena (vários povos aí contemplados). Com diversos mitos perpassando os relatos, suas crônicas despidas partem de suas próprias experiências teóricas e práticas entre os índios, que não cobriam o corpo em tempos antigos e para quem a nudez não era proibida. Nas “Crônicas vestidas”, personagens marcantes de diversas áreas do conhecimento – literatura, pintura, cinema – surgem, com “seus trajes habituais”, a partir do ponto de vista pessoal de Mindlin, por vezes com base na admiração que despertam nela, em outras, partindo de convivências verdadeiras. Assim, estas Crônicas despidas e vestidas são fragmentos do percurso de uma vida repleta de grandes momentos.

★★★★/5

Sair da minha zona de conforto literária é meta de vida e para isso tive que me livrar de vários pré-conceitos e abrir minha mente para navegar por assuntos que fogem do meu cotidiano.

Sou bastante fã de livros policiais e de terror/mistério, entretanto, desde que iniciei algumas parcerias com editoras e agências literárias, tenho procurado ler mais autores nacionais que escrevem sobre minorias e assuntos sociais. É extremamente importante para mim, como educadora, entender desses assuntos e estudá-los,


Dessa forma, quando vi no catálogo da Editora Contexto o livro Crônicas Despidas e Vestidas da antropóloga Betty Mindlin, fiquei bem curiosa para ler sobre o longo período de convivência da escritora com os povos indígenas.


Apesar do título indicar "crônicas", o livro não é realmente baseado em relatos do dia a dia da escritora, "o livro despido e vestido do título não descreve a situação indígena, não é uma narrativa, nem um balanço de sucessos e derrotas, ou uma denúncia, como a de Rubens Valente, em seu magnífico Os fuzis e as flechas. Contém alguns artigos já publicados, um bom número na revista Estudos Avançados. Os inéditos evocam relances, temas e pessoas que não couberam em nenhum relatório ou monografia, mas teimam em voltar à tona e à memória, livre expressão, como as velhas canções que de repente, sem motivo, entoamos depois de muito tempo." (Mindlin, blog da Editora Contexto).


Achei a proposta do livro incrível, quantas pessoas você conhece que viveram em uma comunidade indígena, nem que fosse por uma semana? O que sabemos a respeito dessas pessoas é o que a TV nos mostra, é algo bem superficial. E por mais que você não tenha aqui detalhes dessa convivência, você consegue sentir o quão especial é a relação.


Além disso, vou repetir aqui algo que eu sempre digo em relação a temas que fogem do nosso cotidiano: falar sobre é importantíssimo e eu vou fazer a minha parte divulgando livros como Crônicas Despidas e Vestidas.


Gostei bastante da leitura, pois mais uma vez pude viver dentro de um universo que não me pertence. Ler sobre povos indígenas nos faz refletir sobre o modo como essas pessoas normalmente são deixadas de lado, mesmo com toda a legislação garantindo os direitos mínimos e protegendo todos eles dentro do possível.

Hoje nós vemos com mais frequência os índios sendo retirados de suas terras para que nós, a população em geral, tenha todo o conforto que uma hidrelétrica pode oferecer. Assim como condomínios de luxo sendo construídos em terras sagradas para os indígenas.

É bem triste saber que é mais uma minoria não respeitada principalmente pelo detentor do maior cargo brasileiro de hoje.

Título: Crônicas despidas e vestidas
Autor: Betty Mindlin
Páginas: 216
Ano: 2019
Editora: Contexto
I.S.B.N: 978-85-520-0022-8

Compre na Amazon.

6 Comments

  1. Olá, tudo bem? Não conhecia esse livro ainda, mas achei bem diferenciada e interessante a proposta. É sempre bom lermos esses livros que nos tiram da nossa zona de conforto e nos mostram além do nosso cotidiano. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  2. Olá!! :)

    Eu confesso que nao conhecia este livro ainda e que partilho do mesmo interesso que tu na questao da cultura indigena!

    Enfim, achei otimo que tenhas gostado da leitura. Realmente, ajuda a pensar nas politicas lamentaveis e vergonhosas que estao a ser tomadas...

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  3. Oie!
    Eu também passei a sair da minha zona de conforto na literatura e li muitas coisas diferentes ao longo deste ano. Eu adorei a premissa desse livro e se encaixa muito nos assuntos que tenho tido mais interesse nos últimos tempos. Vou precisar colocar na minha lista de leitura.

    Silviane, blog Memento Mori • @kzmirobooks

    ResponderExcluir
  4. Que livro diferente! Acredito que nunca li nada similar ou conhecia algum livro com essa proposta. Achei interessante. Obrigada pela dica.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas achei muito legal você estar saindo da sua zona de conforto. Achei a premissa desse livro bem interessante, principalmente por mostrar mais sobre a vida dentro da comunidade indígena, indo além do pouco que conhecemos.
    Adorei a resenha e vou anotar a dica. Parece ser uma leitura bem rica e diferente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Esse livro também me tiraria da minha zona de conforto, mas fiquei completamente curiosa com a leitura dele, sua resenha me instigou a ler

    ResponderExcluir

Os comentários agora são moderados para eu conseguir controlar melhor.