FUI - NILZA REZENDE

Sinopse: Clara é uma mulher de meia-idade que parece ter tudo que precisa para ser feliz: é professora universitária, tem uma filha com quem se relaciona bem e um ex-namorado ainda presente. Todos se surpreendem quando ela decide dar uma pausa no cotidiano e, com o pretexto de aprender Inglês, viaja a Malta – pequeno arquipélago no Mar Mediterrâneo entre a Europa e a África.

Enquanto ainda no embarque no aeroporto Galeão, o passado ronda os pensamentos de Clara. Machismo, jogos de poder, traições, desencontros. Quantas violências e opressões cotidianas cabem na história de uma mulher? A temporada na ilha de belíssimas paisagens é capaz de curar cura feridas e promover poderoso reencontro de Clara consigo mesma. Ela também se entrega, com ousadia e libertação, a paixões inesperadas.


Fui pode parecer uma versão latina de Comer, rezar e amar, o best-seller de Elizabeth Gilbert. Mas o romance da experiente escritora Nilza Rezende vai além disso. Feminista sem ser militante e doce sem ser piegas, Fui é uma viagem caleidoscópica que permite conhecer um dos lugares mais belos e interessantes do planeta, mas também faz voos sorrateiros sobre o Brasil atual. Impossível não se deixar levar pela fascinante ousadia de quem descobre que sempre é tempo de realizar seus sonhos e ser feliz.
★★★★/5

Quando recebi a proposta para ler esse livro, confesso que fiquei um pouco receosa, visto que me lembrou muito "Comer, amar, rezar". Na própria sinopse é citado. Minha experiência com o livro de Elizabeth Gilbert não foi muito boa. Na época, eu demorei para conseguir ler e, sinceramente, não gostei tanto assim.

Mas preciso dizer que foi uma grande surpresa quando cheguei ao final de Fui com a sensação de ter tido uma das melhores experiências da literatura nacional atual.

Tudo bem que o fator "escritora brasileira" contribuiu bastante para esse resultado, mas, no geral, a história de Clara é muito interessante e divertida. Fiquei pensando que poderia ser eu ali, sem uma filha, lógico.

Gosto muito de ler histórias de brasileiros que viajam para qualquer lugar no mundo. É sempre um grande aprendizado e de certa forma acabo conhecendo uma cultura diferente através das palavras do escritor. Afinal, o meu amor aos livros é basicamente por esse motivo.

Os capítulos são bem curtos, coisa de duas páginas e você se prende naquele momento da leitura, você se envolve com os personagens. Além disso, um dos motivos pelo qual aceitei a recomendação de leitura pela Oasys - grande parceira aqui do blog - foi a frase "feminista sem ser militante e doce sem ser piegas".

Já comentei algumas vezes aqui no blog que sou sim feminista, porém não sou militante, então logo de cara me identifiquei; e sobre ser doce sem ser piegas? Nem preciso explicar.

Em vários momentos, a Clara conta situações em que passou durante sua viagem em que o machismo estava lá, presente e bem parecido com o que muitas de nós mulheres já passamos sem nem perceber.

O mundo é machista: quando se está sozinha e se é mulher, reservam para você o pior lugar. Sabem que você é bobinha e ficará constrangida de reclamar; enquanto aquele canto bem melhor, no hotel ou no restaurante, ficará disponível a homens ou a famílias, com potencial de consumo muito maior do que o seu e também, obviamente, com uma voz mais grossa para fazer barulho.

Eu gostaria de colocar aqui nesse post todas as frases de impacto que marquei no livro, mas ai eu teria que copiar basicamente o livro todo. É cada frase que em poucas linhas te ensinam tanto que chega ao fim da leitura você quer ser uma pessoa diferente.

Mandamento 2: Não aceite qualquer coisa que te derem. Veja, compare, busque o quarto de hotel, a mesa no restaurante, o canto do escritório mais conveniente a você. Não deixe passar, o prejuízo pode ser fatal.
____
Mandamento 20: Sorria na foto e na vida! Não há limite de idade para sorrir. Smile!
Sem dúvida foi um dos livros mais inspiradores que li esse ano. Não é só sobre viagem. É sobre liberdade, é sobre ser mulher e forte. É sobre viver da melhor forma e sobre escolhas.

No final das contas você percebe que não existe uma idade mínima para mudar sua vida.

Quero finalizar dizendo que o exemplar que ganhei da Oasys já tem um destino e depois outros: vou emprestá-lo a algumas mulheres incríveis da minha vida que precisam passar pela experiência de ler Fui, para que se inspirem também e sintam que ainda vale a pena lutar.

Título original: FUI
ISBN: 9788559080384
Selo: Tinta Negra.
Ano: 2019
Compre na Travessa.

19 Comments

  1. Ah, preciso ler para me inspirar também rsrs.
    Vou tentar comprar esse livro pelo link que você postou aqui no blog.
    Queremos mais novidades!!!

    ResponderExcluir
  2. Dificilmente resenhas me cativam, mas terminei de ler seu post com uma vontade gigantesca de ler esse livro. Primeiro pq gira em torno de uma viagem, segundo pelo assunto tão atual e importante do feminismo. Assim como vc, não sou militante, e acho q as formas leves de abordar o assunto são mais eficazes do que o radicalismo desmedido.

    ResponderExcluir
  3. adorei a tematica desse livro, super me interessou e fiquei curiosa pra ler

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  4. Maravilhosa a resenha do livro, o livro nos deixa uma reflexão que não importa a idade o importante é saber viver a vida, e o livro mostra essa história magnífica da Nilza Rezende, gostei bastante do livro bjs.

    ResponderExcluir
  5. Amei a resenha! Se lembra um pouco comer,rezar e amar tenho certeza que vou gostar demais!!!!
    www.anneferreirablog.com

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Milca!
    Adorei o livro e o que ele parece representar... Já estou curiosa para ler ele também, já está na minha wishlist.
    Adorei o post!
    Abraço

    ResponderExcluir
  7. oi!
    Eu adorei a dica :D não conhecia o trabalho da Elizabeth Gilbert, o livro parece ser bem interessante..

    ResponderExcluir
  8. Necessito voltar as minhas leituras!! ja anotei esse e vou colocar na minha listinha

    ResponderExcluir
  9. Super interessante esse livro.
    Já quero ler também
    Valeu muito pela dica, bjs

    ResponderExcluir
  10. Queria eu sair do cotidiano para viajar rsrs Geralmente essas histórias tem sempre rumos empolgantes. Parece um bom livro.

    ResponderExcluir
  11. A proposta do livro é excelente, achei boas as frases...
    Gostei, muito legal!
    Blog ArroJada Mix|Blog Prosa e Texto|Blog Vapor da Cozinha

    ResponderExcluir
  12. Quantas opressões diárias podem ter na vida de uma mulher.
    Só isso me convenceu a ler! Deve ser um livro super intenso, com uns questionamentos e reflexões muito legais, fiquei morrendo de vontade de ler. Esses quotes são maravilhosos também! ❤️

    ResponderExcluir
  13. Oiiii

    Gostei da proposta do livro, tb não tive ua experiência boa com o livro da Gilbert, mas depois li um livro que também era similar e acabei amando. Fui eu não conhecia, mas gostei da resenha, me convenceu em dar uma oportunidade se eu encontrar ele ppor alguma livraria aqui.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  14. Adorei!
    Curiosa para ler e quem sabe inspirar também rsrs.
    Tantas opções.. acredito que traga boas reflexões.

    Beijos.

    Além das Páginas

    ResponderExcluir
  15. Ai, eu também quero emprestado! :( Hahahaha. Adorei a proposta do livro! É uma pena que livros tão significantes fiquem escondidos atrás daqueles mais populares de escritores internacionais. A Literatura Brasileira precisa ser valorizada e exaltada! Já anotei aqui o nome do livro para ler futuramente.

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá, Milca!
    É tão bom quando a gente começa a ler um livro receosa e no fim acaba se encantando com a história.
    Algo que me chamou atenção foi justamente o fator do feminismo da personagem principal, não é necessário ser militante para evidenciar as injustiças machistas do cotidiano.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. eu amo finalizar uma leitura com sensação de prazer, sinto que realizei uma coisa positiva e prazerosa quando termino bem ou quando sinto que foi uma experiencia valida. eu não conhecia a obra, mas gostei de saber que tem um pouco da experiencia da autora, isso agrega ao livro de forma mais sentimental.

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Eu nunca li "Comer, Rezar e Amar", na verdade, nem mesmo o filme eu vi, porque não me chamou a atenção e, acho, que esse livro também não me chamaria se eu não tivesse lido a sua resenha antes. Agora eu já fiquei curiosa e anotei a dica!
    Abraços

    ResponderExcluir
  19. Dica de livro anotada com sucesso! Como você eu também não curti muito o Comer, Rezar e Amae, Milca, mas adorei a abordagem desse livro, principalmente no tocante ao feminismo e ao reencontro da personagem consigo mesma! Já quero ler!

    ResponderExcluir

Os comentários agora são moderados para eu conseguir controlar melhor.