segunda-feira, março 25, 2019

LIVRO | FILOSOFIA DO COTIDIANO - LUIZ FELIPE PONDÉ

Sinopse: “Filosofar nunca foi sobre deixar você feliz. É que andam mentindo muito por aí. Filosofar está mais ligado ao despertar do sonambulismo. Essa é minha proposta nesta conversa com você.”

“Seguiremos em direção a um mar profundo, muito distante do que o senso comum assume que o mundo seja. O mundo não é um mar calmo de evidências. É um oceano cheio de pequenas tempestades a serem vencidas. O cotidiano nesse percurso não é a mera passagem das horas, é o cotidiano contemporâneo, permeado pelo caráter histórico desta época em que vivemos.”

“Somos seres muitos mais acanhados em nossa natureza do que a aberração feliz postada nas redes sociais (e na publicidade em geral). Suspeito mesmo que a própria ideia de felicidade se tornou uma variável patogênica em si.”

“Quem tem medo de sofrer é incapaz de desejar.”

“Leitura é um hábito anormal, se ‘normal’ for ser igual à maioria.”

“A obsessão pela felicidade faz de você um chato. Como escapar dessa armadilha? Escolher o fracasso? Não precisa, ele te achará. Viver sem fórmulas é o desafio.”
Faz algumas semanas que recebi da Editora Contexto - nova parceira do blog - o livro "Filosofia do Cotidiano". Preciso dizer que fiquei um pouco receosa de ler quando vi que era do Luiz Felipe Pondé por causa das posições políticas dele. Porém, não quero JAMAIS ser o tipo de pessoa que só lê aquilo que concorda 100%.

Mesmo discordando de vários pensamentos dele, acho importante não viver em uma bolha, afinal, não é só o meu pensamento que está certo - ou errado.

Em "Filosofia do Cotidiano", mais recente livro do Luiz Felipe Pondé, são abordados os assuntos mais triviais do dia-a-dia e nos leva a refletir a respeito de coisas que fazemos e normalmente não nos damos ao trabalho de pensar sobre.

Algumas frases do livro são bem dolorosas de ler, já que elas vão vem na dura realidade. Particularmente adoro filosofia e é algo que deveria estar mais presente na vida de todos nós. Como ele diz em determinado momento, a "filosofia está mais ligada ao despertar do sonambulismo" e isso dificilmente nos deixará feliz.

Seguindo uma linha de pensamento bastante conservadora, o escritor propõe um pensamento acerca de vários assuntos tanto voltados para a religiosidade, e o fato de as pessoas se manterem céticas, questões sociais e familiares. 

Ao dizer a expressão "despertar do sonambulismo", ele quer dizer algo como deixar de lado nossos dogmas para, assim, enxergar a realidade. Acredito que seja mais ou menos como um psiquiatra que tem a ciência e sua crença em algum ser superior, ele não vai misturar os dois mesmo porque nem todo paciente é igual.

Concordo com esse fato e não é porque eu acredito que Deus existe que simplesmente vou ignorar a física, a ciência e todos os conhecimentos conquistados ao longo de décadas. Essa é a ideia de despertar.

No que diz respeito a questões sociais e familiares, confesso que li os capítulos 5 e 12 com muita raiva. Lembram quando o vice-presidente declarou abertamente que uma criança que cresce sem um pai, uma figura masculina, tende a se envolver com a criminalidade (mais ou menos assim)? Pois bem, aqui, Pondé deixa clara a sua concordância. 

Quando o assunto é empoderamento feminino, ele faz parecer que mulheres que decidem tocar a vida sozinhas são solitárias. Claro que ele aponta os dois lados, mas acho que é uma questão bem delicada para explicar em duas páginas.

No geral, se trata de uma ótima leitura, com 24 capítulos curtos - cerca de duas páginas e meia - em que é possível tirar muita coisa boa. Precisamos estar abertos a várias opiniões, afinal vivemos em uma democracia e em um país livre. 

É impossível agradar a todos o tempo todo. As divergências servem para crescimento, desde que colocadas de forma saudável. 

Fica aqui a minha indicação, em um dia você termina a leitura. Espero que tenham curtido.

Até a próxima.

Título original: FILOSOFIA DO COTIDIANO
Páginas: 128
ISBN: 9788552000839
Selo: Editora Contexto

Compre na Amazon.
>

13 comentários:

  1. Amo resenhas pois assim fico conhecendo vários livros.. parabéns

    ResponderExcluir
  2. Oii, eu ainda não tinha ouvido falar desse livro! Mas parecer ser bem legal! Beijos Nia
    heycheirosas.com.br

    ResponderExcluir
  3. Nossa preciso ler, me identifiquei nos trechos da sua resenha... acho que é. O tipo de livro que preciso ler no momento

    ResponderExcluir
  4. Eu concordo muito com você, não podemos nos fechar em uma bolha e lermos só obras de autores que concordemos com suas opiniões, um debate saudável é sempre muito bom e até mesmo para nos fortalecermos em nossas posições. Eu não conhecia o livro e até achei a proposta dele interessante.

    ResponderExcluir
  5. Oi Milca, eu não conhecia o autor. Realmente acho que temos que ler de tudo e que discussões respeitosas são saudáveis, todos temos opiniões diferente, podemos expo-las, mas não obrigar o outro a pensar igual.
    Eu gosto destes temas filosóficos que nos fazem pensar e refletir. Gostei de conhecer o livro.
    Bjos
    Vivi
    Blog Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  6. Aaaaaah eu tenho um amor imenso pela leitura! Sempre tenho algo pra ler, já quero devorar esse aí. Amei seu blog, super fofo! Um beijo da Julli ❤️

    ResponderExcluir
  7. Ainda não ĺi este livro e amei a resenha ja quero ler tb .Parabens pela resenha .

    ResponderExcluir
  8. Oiieee

    Eu conheço pouco do autor ou suas posições politicas, mas pelo contexto da coisa toda já imagino mais ou menos a linha que ele segue. Ainda assim a proposta do livro parece ser bem bacana, apesar de eu tb não ser muito habituada a ler livros assim. Concordo em número, grau e gênero com o que vc comentou, não dá pra viver numa bolha e julgar só a nossa opinião correta, achei super maduro e coerente tem pensamento e compartilho dele, acho que é importante debater, isso evita extremismos de ambos os lados como pudemos aliás presenciar nas eleições passadas.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Pondé sabe o quanto é difícil agradar todos ao mesmo tempo melhor do que ninguém hauhauhauhauhauhuha. Infelizmente não consigo gostar do trabalho dele, já assisti palestras e dei chance para uma obra, mas não funcionou por aqui. Odeio como ele aborda o feminismo e nem sei pq ele faz isso rs

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  10. Confesso que não é o tipo de livro que leio normalmente, mas gosto da proposta de nos fazer refletir sobre coisas que fazemos no dia a dia, por outro lado é uma pena a visão sobre as mulheres, assim como esse conservadorismo não é algo que me agrada. mas como você disse, vivemos em uma democracia e precisamos viver com diversas opiniões, até as que achando ridículas.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Oi Milca, sua linda,tudo bem?
    Também gosto muito de filosofia. Conheci essa matéria na faculdade e me apaixonei. Acho importante refletirmos sobre todas as questões que nos cercam e fazermos debates na sociedade. É como você disse, não precisamos concordar, mas temas que debater, sair da nossa bolha. Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem? Não conhecia o livro, e admito que talvez o assunto não seja de meu grande interesse. Gostei de ver sua opinião e acho importante essa questão que mesmo que tenhamos visões diferentes do mundo, devemos ouvir todas as opiniões.
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Adoei a dicas de leitura, está obra não conhecia, já li outras do autor e fiquei bem empolgada com a leitura!

    ResponderExcluir

Os comentários agora são moderados para eu conseguir controlar melhor.