segunda-feira, fevereiro 25, 2019

LIVRO | MENINA BOA, MENINA MÁ - ALI LAND

Sinopse: Os corações das crianças pequenas são órgãos delicados. Um começo cruel neste mundo pode moldá-los de maneiras estranhas Nome novo. Família nova. Eu. Nova. Em folha. A mãe de Annie é uma assassina em série. Um dia, Annie a denuncia para a polícia e ela é presa. Mas longe dos olhos não é longe da cabeça. Os segredos de seu passado não a deixam dormir, mesmo Annie fazendo parte agora de uma nova família e atendendo por um novo nome — Milly. Enquanto um grupo de especialistas prepara Milly para enfrentar a mãe no tribunal, ela precisa confrontar seu passado. E recomeçar. Com certeza, a partir de agora vai poder ser quem quiser... Mas a mãe de Milly é uma assassina em série. E quem sai aos seus não degenera...
Eu já tinha ouvido falar várias vezes que esse livro era bem perturbador. Exatamente por esse motivo eu não exitei na hora de comprar. Se você é do time dos adoradores de thriller psicológico, então com certeza vá amar Menina Boa, Menina Má.

Acredito que não seja necessário repetir tudo o que já está na sinopse, então vou logo dizendo que é um livro que realmente me agradou e surpreendeu, visto que passei a leitura toda pensando em o final seria de um jeito. Apesar de não ser aquele final totalmente surpreendente, é um final que eu não esperava, porém adorei.

Toda a história é como se a Annie, ou melhor, Milly estivesse conversando com a sua mãe. É algo como um diário. De tanto assistir/ler histórias de assassinos em série, eu já vi muito disso, onde a protagonista dialoga com alguém que na verdade não está presente em carne e osso, mas influencia de alguma forma.

A Milly é completamente influenciada pela sua mãe, mesmo que ela não esteja presente, é a referência que ela tem. Milly não é uma pessoa má, ela não quer ser má. 

Mas quantas vezes já vimos pessoas boas que querem seguir sendo boas, mas normalmente fazem de TUDO (e quando digo tudo, é tudo mesmo) para manter a vida "normal" que finalmente alcançaram? Basicamente minha reação às páginas finais foi
Não tem assim uma reviravolta, o livro simplesmente acaba, mas é algo tão inesperado que você demora a digerir, sabe?

Gostaria de acrescentar que, sempre que compartilho livros de thriller aqui, muita gente diz que não curte muito. Bom, caso você tenha interesse em começar a ler esse gênero, mas não sabe bem por onde começar e procura algo mais leve, aqui está minha recomendação.

É um livro que, mesmo trazendo um assunto pesado, ele é leve e você lê assim, rapidinho e sem muitas neuras e desgraçamentos mentais.

Vamos falar um pouquinho sobre alguns dos personagens que estão envolvidos? Primeiro, Phoebe. Menina insuportável, mas nitidamente carente de atenção dos pais. Não merecia o que teve, mas era insuportável mesmo assim e inconsequente. As amigas, principalmente Clondine, poderiam pensar por conta própria, mas sabemos que isso é praticamente impossível.

Mike e Saskia, duas pessoas aparentemente maravilhosas. Mike é do tipo que tem essa vontade de ajudar, mas Saskia é quem precisa de ajuda. Bem parecido com a vida real, né?

Você já sonhou com um lugar muito, muito distante? Eu já.
Um campo repleto de papoulas.
Minúsculas dançarinas vermelhas, valsando alegremente.
Apontando suas pétalas para um caminho que leva a uma orla, pura.
Ininterrupta.
Eu, boiando de barriga para cima, um oceano turquesa. Um céu azul.
Nada. Ninguém.
Eu queria muito ouvir as palavras: “Nunca vou deixar que nada aconteça
com você.” Ou: “A culpa não foi dela, era só uma criança.”
Sim, são esses os tipos de sonhos que eu tenho.
Não sei o que vai acontecer comigo. Estou assustada. Diferente. Não tive
escolha.
Eu prometo isso.
Prometo ser a melhor pessoa que puder.
Prometo tentar.

Morgan, independente do que Milly faça, ela é uma pessoa leal e que realmente gosta da Milly, mesmo depois de tudo. Tinha outra imagem dela na minha cabeça quando comecei a ler o livro.

Deixo aqui minha recomendação e espero que vocês curtam a leitura.

Até a próxima.

Título original: Good Me, Bad Me
Tradução: Claudia Costa Guimarães
Páginas: 376
ISBN: 9788501109552
Selo: Record

Compre na Amazon.
>

6 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Adorei você trazer a sua reação com um gif HAHAHAHAHA Confesso que este tipo de livro sai muito da minha zona de conforto, porém quem sabe um dia eu dê uma chance?! Só vi elogios como o seu até agora! Gosto de finais desse estilo: que a gente não espera e nos impressiona. Com certeza darei a dica a amigos que amam thrillers psicológicos <3
    Beijos,
    https://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu achei a história bem delicada e por isso fiquei curiosa para saber como ela foi trabalhada. Estou acostumada e ver o relacionamento entre mãe e filha de forma romantizada e acredito que vou gostar desse thriller.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  3. Oi, eu gosto muito de livros do tipo e esse é um que quero ler, ainda mais depois da sua ótima resenha. Acho interessante trazer essa reflexão sobre até onde alguém é capaz de ir para manter algo, e sou super curiosa para conferir as reviravoltas da trama.

    ResponderExcluir
  4. Miga, sou desse time e estou louca por esse livro desde o lançamento. Adorei a sua resenha e você conseguiu me deixar ainda mais curiosa. Necessito dele pra ontem! Espero comprar logo porque estou morrendo de curiosidade.

    ResponderExcluir
  5. Olá adorei a premissa da obra, eu gosto de livros gênero só não fiquei muito feliz por ele acabar assim do nada isso me irrita um pouco nas leituras, beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?

    Já li "Menina Boa Menina Má" e curti bem, gosto muito de suspenses/thrillers e esse é um livro que me cativou. Parabéns pela leitura!
    Abraço!

    ResponderExcluir

Os comentários agora são moderados para eu conseguir controlar melhor.