LIVRO | FAHRENHEIT 451 - RAY BRADBURY

Sinopse: Imagine uma época em que os livros configurem uma ameaça ao sistema, uma sociedade onde eles são proibidos. Para exterminá-los, basta chamar os bombeiros - profissionais que outrora se dedicavam à extinção de incêndios, mas que agora são os responsáveis pela manutenção da ordem, queimando publicações e impedindo que o conhecimento se dissemine como praga. Para coroar a alienação em que vive essa nova sociedade, as casas são dotadas de televisores que ocupam paredes inteiras de cômodos, e exibem "famílias" com as quais se pode dialogar, como se estas fossem de fatos reais.
Este é o cenário em que vive Guy Montag, bombeiro que atravessa séria crise ideológica. Sua esposa passa o dia entretida com seus "parentes televisivos", enquanto ele trabalha arduamente. Sua vida vazia é transformada quando ele conhece a vizinha Clarisse, uma adolescente que reflete sobre o mundo à sua volta e que o instiga a fazer o mesmo. O sumiço misterioso de Clarisse leva Montag a se rebelar contra a política estabelecida, e ele passa a esconder livros em sua própria casa. Denunciado por sua ousadia, é obrigado a mudar de tática e a buscar aliados na luta pela preservação do pensamento e da memória. Um clássico de Ray Bradbury, "Fahrenheit 451" é não só uma crítica à repressão política mas também à superficialidade da era da imagem, sintomática do século XX e que ainda parece não esmorecer.


Avaliação: ★★★★★

Acredito que não há momento mais oportuno para falar sobre Fahrenheit 451 do que agora. O Museu Nacional, um espaço dedicado unicamente ao conhecimento, simplesmente não existe mais. Eu não poderia lembrar de nada mais relacionado ao livro do que esse triste acontecimento.

Além disso, se eu tivesse que escolher o livro que salvou meu ano, não pensaria duas vezes ao citar Fahrenheit 451. É um clássico que eu não fazia ideia da existência até uma professora maravilhosa indicar a leitura.

Ler Fahrenheit parece que abriu meus olhos para a forma como a leitura é tratada na nossa sociedade. Um livro publicado pela primeira vez em 1953 e tão atual que chega a assustar. Nosso pensamento, em um país democrático, é que tais acontecimentos não existem, mas é algo que está mais entre nós do que pensamos.

Se você já leu qualquer coisa relacionada a Segunda Guerra Mundial, sem dúvida você sabe que naquela época os livros eram algo ameaçador e com certeza você sabe que queimá-los era a regra.
Então, vê agora por que os livros são tão odiados e temidos? Eles mostram os poros no rosto da vida. As pessoas acomodadas só querem rostos de cera, sem poros, sem pelos, sem expressão.
Isso aconteceu porque quem detém o conhecimento é realmente ameaçador. Os grandes líderes não querem que as pessoas pensem. E vai muito além disso. A tragédia com o Museu Nacional foi um exemplo claro de que quanto menos a cultura for fomentada, mais fácil é controlar as pessoas.

Diariamente vemos nossos "livros" serem queimados. Ao deixar de dar prioridade à educação, à cultura, nossos governantes queimam nossas fontes de conhecimento. É péssimo! Lembram do jornalista que elitizou a leitura esses dias? Sim, também é uma forma de queimar nossos livros.

Ultimamente estou recomendando Fahrenheit 451 para todo mundo, porque é uma leitura essencial. Não consigo acreditar que passei pela faculdade sem saber da existência de Ray Bradbury. E preciso comentar que esse post é um desabafo, sabe? Fico revoltada em saber que a cultura é algo tão "inútil" para tantas pessoas. Acredito também que não devemos nos meter no meio de, por exemplo, um adolescente e e um livro.

Acho uma conquista maravilhosa quando vejo crianças e adolescentes lendo. Não interessa o que seja, só o fato de ele se interessar pela leitura já é algo que me deixa muito feliz, As pessoas evoluem e logo logo esse leitor "de livros ruins" vai começar a ler coisas boas e por aí vai. Não vamos jogar os livros e os leitores na fogueira só porque lemos Dostoiévski.

Deixa eu parar por aqui, senão vou reclamar da vida, do universo e de tudo mais.

Segue o trecho que mais gostei:
[...] Se não quiser um homem politicamente infeliz, não lhe dê os dois lados de uma questão para resolver; dê lhe apenas um. Melhor ainda, não lhe dê nenhum. Deixe que ele se esqueça de que há uma coisa como a guerra. Se o governo é ineficiente, despótico e avido por impostos, melhor que ele seja tudo isso do que as pessoas se preocuparem com isso. Paz Montag. Promova concursos em que vençam as pessoas que se lembrarem das letras das canções mais populares ou dos nomes das capitais dos estados ou de quanto foi a safra de milho do ano anterior. Encha as pessoas com dados incombustíveis, entupa-os com "fatos" que elas se sintam empanzinadas, mas absolutamente "brilhantes" quanto a informações. Assim elas imaginarão que estão pensando, terão uma sensação de movimento sem sair do lugar. E ficarão felizes, porque fatos dessa ordem não mudam. Não as coloque em terreno movediço, como filosofia ou sociologia, com que comparar suas experiências. Ai reside melancolia. Todo homem capaz de desmontar um telão de tv e monta-lo novamente, e a maioria consegue, hoje em dia está mais feliz do que qualquer outro homem que tenta usar a régua de cálculo, medir e comparar o universo, que simplesmente não será medido ou comparado sem que o homem se sinta bestial e solitário. [...]

Título: Fahrenheit 451
Autor: Ray  Bradbury
Páginas: 216
Ano: 2012
Gênero: Distopia / Ficção científica 
Editora: Biblioteca Azul
I.S.B.N: 9788525052247
Tradutor: Cid Knipel


Compre na Amazon clicando no link abaixo, assim você estará ajudando o blog ❤

36 comentários:

  1. Eu ainda não li esse livro, mas ele consta a um bom tempo na minha lista de quero ler.
    Já ouvi excelentes comentários sobre o enredo e sua resenha mais uma vez me confirmou isso e afirmou o quanto estou perdendo com essa enrolação em ler logo o livro.

    Concordo que é maravilhoso ver crianças e adolescentes lendo. Aqui tenho dois, uma de 9 anos e um de 16 anos.. Gostos diferentes.. Mas sempre lemos livros juntos, para depois discutirmos nossos pontos de vista.. Atualmente estou lendo uns contos de terror nacional com a minha caçula, estamos adorando.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  2. O livro parece realmente ter uma excelente mensagem. Gostei da sua resenha e do tema que o livro aborda.
    Vou procurar para ler.

    Beijinhos,
    Aline Magalhães
    Alineland

    ResponderExcluir
  3. Li sua publicação com lágrimas pq é a mais pura verdade.
    Chorei muito com a notícia do Museu e ao me dar conta de que cada vez mais estamos perdendo nossa história. Me sinto em uma distopia. Esse livro foi importante pra mim, li há algos anos atrás e sinto que preciso reler.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  4. Nao é um estilo de livro que me agrade. Mas gostei da sua resenha

    ResponderExcluir
  5. Uma amiga me falou desse livro essa semana, ele sobre o filme e quer terminar de ler o livro antes de assisti
    Gostei, muito legal!
    Blog ArroJada Mix|Blog Prosa e Texto|Blog Vapor da Cozinha

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li o livro mas gostei muito da história como seria se os livros fossem proibidos, esse livro tem uma história que vai prender muito o leitor, realmente é uma conquista quando vemos crianças e adolescentes lendo, gostei muito da indicação do livro bjs.

    ResponderExcluir
  7. Já é a segunda vez que me falam desse livro, estou bastante curiosa pra ler.

    ResponderExcluir
  8. Olá
    Esse livro está na minha lista de leituras desde o começo do ano, ainda não tive a oportunidade mas me chama muita atenção.

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia esse livro, tb acho maravilhoso quando vejo crianças e adolescentes lendo. Me faz ter sempre esperança por uma sociedade de leitores. Bjs

    ResponderExcluir
  10. Gostei da tua resenha e deu curiosidade em ler, mas como estou sem tempo vou indicar a uma amiga que curte uma boa leitura como essa

    (•_•)

    ResponderExcluir
  11. Já amei esse livro e nem li ainda, só pela sua resenha. Sem falar que ele é curtinho né, deve valer a pena!

    ResponderExcluir
  12. Gente que historia interessante, jafiquei ansiosa para ler, ja pus na minha listinha de proximas aquisições.

    ResponderExcluir
  13. Uma sinopse e resenha de uma leitura de conteúdo super diferente e muito bom !

    ResponderExcluir
  14. Ja ouvi falar nesse livro ainda não tive a oportunidade de ler...

    ResponderExcluir
  15. Oiii Mila

    Primeiramente to contigo na tua opinião, essa coisa de desprezar livro x ou dizer que a pessoa não é leitor de verdade porque não lê literatura y é puro preconceito, bobagem, todos evoluimos, crescemos, e desmerecer o que alguém lê é no minimo coisa de gente babaca, mas infelizmente ja aconteceu e a gente sabe disso né?
    Fahrenheidt é um livro que me intimida demais! Esse e Laranja Mecânica. São dois clássicos com premissas únicas, conheço gente que amou e gente que nem aguentou ler, não faço idéia em qual categoria me encaixaria. Por enquanto ainda não me sinto madura pra leituras complexas, e confesso que o cansaço do dia a dia tb me deixa mais preguiçosa em querer ler algo que me desafie como Fahrenheidt mas quem sabe um dia...

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem? Comprei este livro esses dias, mas já estava na minha listinha de desejados há muito tempo. Ainda não consegui ler a obra, porém depois de ler tua publicação fiquei mega ansiosa para ler. Adorei a reflexão que tu fez sobre a desvalorização da cultura, infelizmente isso é algo muito real hoje em dia. Parabéns pela postagem!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  17. Muito bom o tema do livro, amei a sua resenha e gostei da comparação que você fez com o Museu que pegou fogo, realmente é algo preocupante, a leitura desse livro deve ser top 👏👏

    ResponderExcluir
  18. Oi, adorei sua resenha e o enredo do livro. Já tinha ouvido falar dele, mas nunca dei atenção por ter outras prioridades, mas com certeza ele vai pro topo da minha lista. Beijão!

    ResponderExcluir
  19. Oi, como vai? Eu tenho esse livro na estante mas, ainda não consegui fazer a leitura dele por causa da quantidade de livros atrasados que eu tenho para ler..rs! Eu sempre li ótimas resenhas sobre a história do livro, por isso, resolvi assistir ao filme e apesar de ter achado ele interessante, bem adaptado, com ótimas atuações não achei que o filme conseguiu me surpreender e estou esperando sinceramente, que o livro seja diferente.

    Pela sua resenha, acredito que o livro tenha impactado muito na sua vida e concordo totalmente com você quando diz: "Diariamente vemos nossos "livros" serem queimados" porque, trabalho em uma escola e vejo pais que não estão nem um pouco interessados no futuro dos seus filhos, brigam com os professores quando cobram os cadernos didáticos dos filhos, algo essencial para o aprendizado das crianças. Em fim, gostaria apenas de dizer que a sua resenha é importante e necessária, todos devemos para e pensar o que estamos fazendo para divulgar a literatura todos os dias.

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
  20. Não conhecia o livro, mas estou sentindo só pela sua resenha que é um livro do tipo tem que ler, deve ser terrível ter os livros queimados, já li alguns livros que retrata a segunda guerra mundial e a queima de livros

    ResponderExcluir
  21. Não conhecia o livro mas com certeza agora quero ler, pois um livro publicado a tempos atrás e ter um tema tão atual e essa crítica aos políticos que desde de sempre tentam emburrecer a população é sem dúvida algo para ser lido sempre . Obrigada por me apresentar esse livro.

    ResponderExcluir
  22. Tô com ele para ler, só aumentou minha curiosidade! amei sua resenha.

    ResponderExcluir
  23. Olá,

    Gostei da dica! As pessoas estão sempre falando muito bem dessa obra, estou curiosa para conferir, principalmente por você citar que mesmo sendo uma obra lançanda a não sei quantos anos, tem muito do que estamos vivendo atualmente.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Li este livro há muitos anos e lembro de ter gostado bastante, seu post me deixou com vontade de relê-lo.

    ResponderExcluir
  25. Olá, tudo bem? AMO Fahreinheit 451 pois foi uma descoberta maravilhosa esse ano. Um grande clássico que ainda não tinha tido oportunidade de ler, mas que me abriu olhos para muita coisa. Não sou julgadora de leituras ruins ou boas, afinal para mim essa divisão na literatura é burrice. O leitor ler o que quer e é isso ai. Às vezes acho que a literatura ruim muitas vezes tem mais lições a nos ensinar que a dita cuja clássica. Porém isso para outro debate haha Ótima resenha e que bom que você indica para muitos a leitura do mesmo. Adorei!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  26. Esse é um dos meus livros preferidos e sempre indico e sempre compro pra presentear. Gosto muito da mensagem que ele deixa de que os livros são as nossas melhores armas. Adorei ver a resenha.

    ResponderExcluir
  27. Sendo sincera, não é um livro que me interesse para leitura, eu assisti ao filme (sim, sempre é bem diferente da história do livro) mas sei lá, apesar de ter uma ideia maravilhosa achei muito fraca, e acaba que não me atraiu, mas quem sabe futuramente eu possa mudar de ideia e dar uma chance, fico mais do que feliz que você tenha gostado.
    Beijos

    ResponderExcluir
  28. Olá! Caramba, pela sinopse eu já fiquei arrepiada ao imaginar o que aconteceria no livro. Espero conseguir ler em breve, pois seu enredo parece ser realmente maravilhoso. Adorei saber desse livros, especialmente nesse momento em que todos estamos em luto pelo nosso museu.

    ResponderExcluir
  29. cara, esse livro é afudê... li tem mtos anos mas com tua resenha fiquei a fim de reler... boa analogia com o infeliz acontecimento do museu, perdemos muito da nossa história ali...
    :(
    indico Farenheit pra todo mundo. <3
    bjs...

    ResponderExcluir
  30. Oi, tudo bem?
    Adorei a indicação. Parece ser um livro MUITO pertinente com o momento atual do Brasil. É revoltante o quanto a cultura ainda é desvalorizada no nosso país, como se não fosse útil ou necessária. E ainda tem aqueles supostos intelectuais que tentam elitizar a cultura, evitando que outras pessoas tenham acesso a ela e fazendo com que o conhecimento fique restrito à um grupo.
    Ainda não li esse livro, mas tenho muita vontade e acho que a leitura deve trazer muitas reflexões interessantes. Dica anotada aqui e espero ler em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  31. Ola!!
    Ouço muito falar sobre esse livro, mas ainda não tive a oportunidade de lê-lo, pois tenho uma ressalva muito grande ao que se refere a classicos. Amei a sua resenha! Acredito que isso é algo que tem que ser ressaltado pois o que eu li não foi apenas uma resenha e sim um desabafo sincero e atual da nossa realidade. Acredito veemente que nao ha arma maior que o conhecimento e atualmente no Brasil é inquestionável o quanto a falta disso nos afasta em diversos quesitos!

    beijos

    ResponderExcluir
  32. Olá!
    Estamos num momento crítico, não é? Eu leio muito distopias e me surpreendendo com a forma como vejo nosso país próximo de ser uma.
    Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas estou com ele na pilha de futuras leituras e, como você disse, acho que o momento é agora. Infelizmente, quanto mais alienada a pessoa for, mais será de interesse dos governantes, quem não pensa, não questiona.
    Adorei sua resenha e a forma como você trouxe esse livro para a nossa realidade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  33. Olá,
    Livros que tem toda essa questão de censura por muitas vezes são bem melhores escritos porque há todo um cuidado em passar a mensagem adequadamente, e ainda por cima tomar cuidado com as restrições. O tema é algo que eu gosto, e apesar de ter ouvido falar do livro nunca li.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  34. Nossa, que texto! Uma mensagem... Um grito de alerta que tocou o meu coração. Parabéns. Realmente para muitos governos não é interessante ter gente pensante, uma pena. O que estão fazendo com os livros e com as pessoas? Não se interessam por nada e um quadro que me preocupa é o fechamento de um número tão grande de livrarias.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  35. Sempre ouvi falar muito bem do livro e sempre tive muita vontade de lê-lo, pois amo o gênero distopia. Agora, depois do seu post, sinto que tenho mais motivos ainda de ler, o que eu pretendo fazer na primeira oportunidade de adquiri-lo.

    ResponderExcluir
  36. Realmente me parece uma história que vai prender nossa atenção. Ainda não conhecia esse livro.
    besitos

    ResponderExcluir

Se você gostou (ou não), deixe um comentário me dizendo o que achou, assim poderemos trocar figurinhas sobre coisas das quais gostamos e vou saber o quê e onde melhorar.
Spam, não, pls!