segunda-feira, maio 28, 2018

,
Eu nunca tive coragem de fazer uma tatuagem. Sempre fui daquele tipo de pessoa que "acha lindo, mas não em mim". Mas já tinha um tempinho que eu criei coragem e queria muito tatuar uma das minhas maiores paixões. Quando publiquei esse post sobre tatuagens delicadas eu já tinha decidido o que seria, mas ainda estava em busca de novas inspirações.

Foi um processo de muita pesquisa, porque confesso que um dos maiores medos que eu tinha era fazer uma tatuagem - algo que é para sempre - e não gostar. Fiquei com medo de o traço ficar feio, ficar parecendo tatoo de ex-presidiário, enfim, foi um medo grande.

Também foi uma dificuldade enorme decidir o quê seria a minha primeira tatuagem. Quando decidi fazer uma câmera e fui buscar inspirações na internet, foram tantas ideias que mais uma vez passei pelo processo de escolher qual câmera iria virar tatuagem. Não é nada fácil, viu!

Foram vários medos superados. Um deles era a minha mãe. Sim, eu com quase 30 anos levo muito em consideração a opinião da mamãe. Ela sempre criticou tatuagens abertamente, então eu tinha muito medo de que ela falasse algo que fizesse eu me arrepender. Para a minha surpresa, ela achou lindo.

Além de tudo isso, o pavor de sentir dor era imenso. Porém, foi uma dorzinha muito boa, não sofri. O problema é que na semana em que tatuei, tinha uma viagem marcada para Caldas Novas e uma das recomendações era evitar piscina. Fazer o quê. Fui mesmo assim e tentei deixar o braço ao máximo para fora da água, até porque naquelas águas quentinhas o bom mesmo é ficar parada lá no cantinho relaxando.

Enfim, queria mesmo compartilhar com vocês esse momento tão importante para mim. Como dizem, depois da primeira é um caminho sem volta e eu já quero fazer várias outras. Inclusive em breve teremos mais um post com inspirações de tatuagens, porque estou muito nessa vibe.

Você tem uma tatuagem? Com que idade você fez?
,
Faz um bom tempo que não indico nenhuma série por aqui, mas o motivo é o de sempre, basta reler algumas postagens mais antigas que vocês vão perceber um padrão aqui. Mas como somos brasileiros, não desistimos nunca, tanto eu quanto vocês. Voltamos com a série Safe, novidade da Netflix.

Sinopse: Tom (Michael C. Hall) é um cirurgião pediátrico que cuida sozinho de suas filhas, Jenny e Carrie, após sua esposa vir a falecer. No entanto, sua vida muda drasticamente quando uma delas desaparece a caminho de uma festa. Agora, esse pai desesperado inicia uma investigação para descobrir o paradeiro da menina, fazendo com que segredos de pessoas próximas comecem a ser revelados.

O principal motivo que me levou a assistir Safe, sem sombra de dúvidas, foi o fato de ter Michael C. Hall no elenco, os fãs de Dexter com certeza vão querer matar a saudade dele. O segundo motivo é que, como vocês sabem, eu adoro um bom suspense. Nunca li nada do escrito Harlan Coben, mas tenho muita curiosidade, já que eu amo esse tipo de leitura, Aliás, já coloquei alguns livros dele na lista.

Eu particularmente amei Safe, porque tem tudo o que eu gosto em uma história: mistério, gente desaparecida, um assassinato sem solução, esqueletos no armário e o elefante na sala.

Desde que comecei com a minha obsessão por suspense aprendi que nada fica escondido por muito tempo e mentira tem perna curta. Não adianta, uma hora alguém vai soltar uma frase que vai entregar um segredo muito bem escondido. Ah, e mais uma coisa: nós nunca vamos conhecer alguém por completo.

As atuações ficaram ótimas e adorei ver M. C. Hall no papel de um médico. Achei todos muito suspeitos, mas só fui perceber quem realmente havia cometido o assassinato do Chris já no penúltimo episódio. Sou péssima para perceber esse tipo de coisa.

Gosto muito de séries que têm poucos episódios, porque a história não se perde e acho que cada cena é muito bem aproveitada. Séries como as da CW, que têm mais de vinte episódios, acabam sendo "encheção de linguiça" e a história fica cheia de lacunas. Aqui temos um total de oito episódios, logo, tudo muito bem objetivo.

Deixo aqui a minha indicação da semana e prometo voltar com mais séries que assisti, mas acabei não comentando. Espero que curtam e até a próxima.

Curtam a página do blog no Facebook

quinta-feira, maio 10, 2018

,
Aqui está um post que vocês raramente verão aqui blog, por isso já quero começar justificando o motivo dele. Estou em um momento da vida em que estou repensando meus gastos. Ou melhor, estou sendo obrigada a repensar, já que chega uma hora em que é necessário gastar de forma consciente. E além disso, minhas prioridades estão mudando e eu quero viajar, por isso cada compra que estou fazendo (ou que comecei a fazer desde o início do mês) estão sendo muito bem pensadas.

Dito isto, quero complementar dizendo que as coisas que vou mostrar não são coisas caras e é uma forma de indicar coisinhas legais e lugares com preços bons para comprar. Ah, e também é uma maneira de ter controle sobre o que ando comprando, vamos ver.

O primeiro item que quero comentar é a almofada "That's my spot". Vocês sabem que sou muito fã de The Big Bang Theory, então fiquei apaixonada. Ela estava na minha listinha da Geek10, lembram? Ela foi R$49,90.

Minha meta é comprar pelo menos dois livros por mês, dessa vez eu comprei Alice nos país das maravilhas, já que foi pedido no curso que estou fazendo, comprei É isto um homem? indicação da professora do curso e Anatomia do mal, que eu já queria há tempos e consegui um preço legal na Amazon. Tive uma experiência muito boa com o site. Eu comentei lá no twitter que costumava comprar livros em outro site, mas o valor do frete era absurdo e a entrega super demorada, mesmo sendo por transportadora. Na Amazon, eu comprei na sexta-feira pré-feriado e chegou na quarta. Amei!

Meu sobrinho abriu uma loja de acessórios para celular e como meu celular está com a bateria viciada, toda vez que eu saio, no final das contas fico sem bateria. Ele me indicou um carregador portátil muito bom. Se não me engano ele dá oito cargas. Comprei por R$90, mas o preço dele, em média é R$120.

Fazia tempo que eu queria a caneta da marca Tombow. Quem faz bullet journal sabe  que essa caneta dá um tchan nele. Finalmente encontrei em uma loja física aqui em Brasília e custou R$24. Eu nunca quis comprar pela internet por causa do frete. Aproveitei e comprei mais duas, uma com a ponta 0.3 e a outra, 0.05.

Os anéis da foto, apesar de muitos, foram super baratinhos. Eu estou amando anéis fininhos e aí coloco vários em um dedo, ou em todos os dedos, enfim, dá para fazer combinações lindas. Um kit com cinco, estava de promoção na Renner por R$9,99. Alguns tinham anéis de falange também. E as pulseiras também estavam em promoção e o kit com cinco saiu também por R$9,99. A Renner é a,oja que mais gosto de comprar acessórios, porque sempre tem promoção.

Para o post não ficar maior do que já está, vou resumir as demais compras. Sou bem chata em relação à creme de pele, então para não gastar dinheiro atoa, sempre compro esses de 1L da Avon que têm um cheiro bem neutro e dá muito bem na minha pele. Estava precisando também de um creme para o rosto. Eu sou alérgica a esmaltes e adorei saber que a Avon mudou a fórmula, já adianto também que a qualidade dos esmaltes mudou muito e está incrível! Estou usando nesse momento o Mousse de Chocolate, é lindo demais!

Também comprei uma lâmina para fazer a sobrancelha e foi a melhor coisa que já comprei esse ano. Ainda mais que eu vivia reclamando que precisava de um milagre na sobrancelha. Consegui. E claro, não poderia faltar batom.

A necessaire eu comprei na Riachuelo e custou R$19,90 e essa toalhinha rosa acima dela na foto é para o cabelo; é daquelas que tem um botão e você prende a toalha bem bonitinha sabe? A cara da riqueza.

Ufa!! Que post imenso! Sei que tem muita inutilidade aí nesse meio, mas para uma viciada em compras, estou até impressionada de não ter comprado mais coisas. Agora, só mês que vem e prometo não comprar mais nada.

Semana que vem tem post sobre duas coias muitos legais que fiz e que farei: tatoo e viagem, aguardem!

terça-feira, maio 08, 2018

,
Sinopse: Como um grupo de jovens estudantes bem-educados acabou se envolvendo num escândalo que chocou um país? Por que tantos especialistas em comportamento juvenil têm algo a dizer quando o assunto é o Clube dos Oito? Até quando inúmeras manchetes de jornal e programas de TV sensacionalistas vão explorar o caso nos mínimos detalhes? Para fazer com que a verdade venha à tona, Flannery Culp, a dita líder do Clube, decide tornar público o diário que manteve ao longo do seu desastroso último ano de ensino médio. Agora que está presa por cometer um assassinato, a garota tem tempo de editar o que escreveu e revisitar a rotina que levava ao lado de seus sete melhores amigos. A narrativa de Flan, permeada de professores da pior índole, um amor não correspondido, aulas complicadas e jantares pomposos, comprova que ela pode até ser uma adolescente criminosa — mas, pelo menos, é uma adolescente criminosa muito inteligente.
Avaliação: ★★★

Recebi o livro O Clube dos Oito em parceria com a editora Companhia das Letras e foi o primeiro da nossa parceria. Eu o escolhi porque tem muito do que eu gosto de ler: assassinatos, mistérios, brigas e amizades incríveis. Quando li a sinopse não pensei duas vezes.

Através da sinopse, você consegue pegar a essência da história e conhecer um pouco, aliás, bem pouco sobre a personagem principal, Flanery Culp. Digo isso, porque a sinopse não dá nenhuma pista da real pessoa que ela é. A princípio quero enfatizar que não da para confiar muito no que ela relata, afinal de contas trata-se de um diário pessoal e que ela está revisando depois de ter sido presa.

Conforme a história vai passando, você pensa que Flan é um ser adorável, depois passa a notar que ela não é lá uma pessoa muito boa. Quando chega ao final, você está tão boquiaberto que não consegue processar tudo aquilo.

Eu gostei bastante da história, entretanto, confesso que fiquei bastante chateada porque muito da história poderia ter sido dispensada, chegando até a ficar cansativo em alguns momentos. O que me motivou muito a seguir lendo foi o grande momento em que Adam é assassinado.

"Não há como exagerar e importância desse momento psicossexual e voyeurístico de Culp [...]. Imaginem Culpa, no rescaldo de sua iniciação sexual, tendo uma discussão com sua futura vítima [...] perambulando em estado de torpor até a sala de um professor de quem gostava, em busca de aconselhamento e orientação [...]. No entanto, ao entrar, ela o encontra traindo sua confiança, na verdade, traindo a profissão de educador, enlaçado a uma aluna [...]. Foi a traição suprema para a jovem Culp e desencadeou uma reação brutal, apenas pouco tardia - da mesma forma que Poe em face da morte de sua mãe, conforme abordado em primeiro capítulo."

Outra coisa que vale a pena citar é que o livro original. The Basic Eight, foi escrito em 1998 e só agora veio para o Brasil com o título O Clube dos Oito. Li algumas resenhas e muita gente criticou por ser uma história batida e disseram que era uma imitação de Clube da Luta. Porém, vale ressaltar que o filme é de 1999. O autor,, na verdade, foi bastante original. Não conheço nenhuma história do mesmo tipo que seja anterior a 1988, então acredito que ele inovou e trouxe algo diferente para a época. Além de tratar de  assuntos como homossexualismo e questões raciais.

É um livro que vale muito a pena e se você insistir na leitura, com certeza vai gostar. Fica aqui a minha indicação da semana.

I.S.B.N: 9788555340659; Páginas: 400; Ano: 2018; Autor: Daniel Handler; Gênero: Suspense/Mistério; Editora: Companhia da Letras.

Compre na Amazon clicando no link abaixo, assim você estará ajudando o blog ❤

quinta-feira, maio 03, 2018

,
Eu juro que gostaria de ter capacidade de administrar meu tempo e jogar a preguiça de lado para postar corretamente aqui no blog. JURO! Mas tenho uns picos de desânimo frequentes, não é nada relacionado ao blog, eu que sou assim mesmo, mas mês passado eu ia escrever sobre filmes que vi e quando percebi já era Maio. Pois bem, dessa vez não passa e quero indicar aqui para vocês os dez filmes mais legais que vi em Abril.

  1. Projeto Flórida (2017 - Drama): Um filme bem diferente com crianças. Daqueles que você ri e chora, ama o desenrolar da história, porém o final é meio decepcionante. De qualquer forma vale a pena.
  2. Touro Ferdinando (2017 - Animação): Sem dúvida uma ótima animação. Muito divertido, um gráfico lindo e personagens incríveis. Sempre tem aquela lição de vida, mas é bom.
  3. Sobre amores e viagens (2016 - Drama): Mais um daqueles filmes que esfregam na nossa cara que orientação sexual não define caráter. Detestei uma certa personagem chamada Maria, mas amei o filme no geral.
  4. Massacre no Texas (2017 - Terror): Se é terror, ainda mais sobre nosso queridinho O Massacre da Serra Elétrica, então sim, amamos. Aliás, eu amo, o Rodrigo assiste.
  5. Verónica (2017 - Terror): Terror é sempre bem-vindo, mas uma coisa que eu sempre digo é que se é terror da Netflix a nota sempre vai ser altíssima, mesmo não sendo lá aquelas coisas. Achei meio clichê, porém gostei dos personagens e até hoje estou cantando a música.
  6. O Rei da Polca (2017 - Drama/Música): Vai me dizer que você não ama o Jack Black? Pode até não amar, mas ele é engraçado e nesse filme, ele está ótimo. É baseado em uma história real e é para rir de nervoso. Não é uma comédia, mas chega a ser engraçado.
  7. Um dia de caos (2017 - Ação/Terror): eu AMEI esse filme. Já pensou em vírus do ódio? Não que ele não exista, mas um que seja uma espécie de apocalipse zumbi do ódio mortal. É massa!
  8. Pedro Coelho (2018 - Animação): Que filme fofo! Talvez a melhor animação que vi nos últimos meses. Você morre de amores pelos personagens.
  9. Advantageous (2015 - Ficção científica): A ideia do filme é ótima e assustadora. Porém ele é lento demais e acabou ficando um pouco cansativo. Mas olhando assim de longe, é uma ótima história.
  10. Os Vingadores: Guerra Infinita (2018 - Ação/Aventura): Sem dúvida o melhor filme do meu ano. Até agora eu amei tudo, menos aquele final inesperado. Como aqui não existe spoiler, então assista e sofra.

Esses foram alguns dos filmes que vi em Abril. Tiveram outros, mas preferi listar só dez, então caso queira saber quais foram os demais, você poode me acompanhar no Filmow ou podemos bater aquele papo nerd no Twitter.

Curtam a página do blog no Facebook

quarta-feira, maio 02, 2018

,
Estou na maior vibe de unicórnio ultimamente. Aliás, acho que é a moda do momento. Tudo que tem estampa de unicórnio puxa meu olhar, é inevitável e sei que com a maioria também é assim, porque eles são fofos e tudo que tem eles é também. Pensando nisso, separei alguns posteres que encontrei navegando na internet e resolvi compartilhar com vocês. Abaixo está o link redirecionando para o Pinterest em que você pode acessar a página do criador. Por lá você pode baixar em ótima qualidade para pode imprimir e fazer aqueles quadrinhos fofos ou só colocar como papel de parede no celular.
Pin 7

Gostaram da seleção? Deixe nos comentários o que você mais gostou e se você também é fã desses seres fantásticos e fofos.

Curtam a página do blog no Facebook

Follow Us @blogsabeoinverno