sexta-feira, dezembro 29, 2017

18 COISA PARA FAZER EM 2018

Última semana do ano, últimos dias e eu amo essa época. 2017 foi um ano muito bom, aprendi muito, conheci pessoas maravilhosas, deixei pessoas que não acrescentam em nada para lá, finalmente juntei as escovas de dente - coisa que achei que não aconteceria esse ano. Voltei a ter esperança na vida, passei a acreditar mais, chorei, senti raiva, senti vontade de sumir, senti vontade de explodir o mudo, perdi minha avó... Enfim, foi um ano de muitos aprendizados, até aprendi a fazer arroz e feijão. Tudo o que desejo para 2018 é muitos momentos de risadas, felicidade, paz, tranquilidade e tudo o que for possível para que todos nós sejamos felizes.

O blog cresceu consideravelmente, comecei com números super baixos e trabalhei cada dia para conseguir o engajamento que tenho hoje e isso me deixa muito feliz. Finalmente vejo um blog meu crescer e vontade nenhuma de parar. Para o ano que vem tenho muitas coisas em mente e vou listar aqui 18 delas, algumas talvez não sirvam só para mim.

  1. Voltar a fotografar com frequência
  2. Retomar trabalhos fotográficos
  3. Ler todos os livros da estante. Ou a maioria
  4. Colocar o papel de parede na sala
  5. Não abandonar as aulas de funcional
  6. Comer menos porcaria
  7. Fazer uma festa no meu aniversário
  8. Ser organizada (agora vai!)
  9. Focar no blog
  10. Aprender a programar
  11. Deixar a preguiça de lado
  12. Ter paz interior
  13. Deixar mágoas em 2017
  14. Um livro em inglês por mês
  15. Abandonar de vez as legendas
  16. Viajar, ao menos duas vezes
  17. Não esquecer do protetor solar
  18. Viver
Desejo toda felicidade a vocês que passam por aqui e tornam meus dias mais alegres com comentários lindos.

quinta-feira, dezembro 28, 2017

LUGARES PARA VISITAR NO PRÓXIMO ANO

Eu acho que já falei aqui algumas vezes que nasci em Brasília, nunca saí daqui, mas existem mil lugares que eu nunca visitei. Lembro de alguns passeios da escola que eu nunca ia e depois de grande, só faltava interesse mesmo. Acontece que uma das minhas metas para o próximo ano é voltar a fotografar com frequência e preciso de vários incentivos para isso, como por exemplo, aproveitar e conhecer lugares diferentes aqui pela cidade. Sendo assim, vou listar aqui alguns que pretendo conhecer, fotografar e postar aqui no blog ano que vem, todos em Brasília e região.

1 - Jardim Botânico
2 - Museu da Memória Candanga
3 - Península dos Ministros
4 - Reserva Ecológica Paraíso na Terra
5 - Ermida Dom Bosco
6 - Parque Olhos d'água
7 - Torre Digital

Esses são os que eu lembrei até agora, mas sei que tem muitos outros pontos que quero fazer pelo menos uma foto. Conforme eu for lembrando vou anotando para não esquecer. Além disso, esse são os locais aqui em Brasília ou bem perto, ainda tenho algumas viagens em mente e que não vou acrescentar por enquanto.

E vocês, o que pretendem para 2018?

terça-feira, dezembro 26, 2017

LIVROS QUE VOU LER EM JANEIRO

Entre as metas para 2018, ler os livros da estante antes de comprar novos, está como prioridade zero, vamos combinar né? Chega de encher a lista e nunca terminar. Selecionei os que mais quero ler e que na verdade eu ia ler ainda em 2017. Vocês sabem como é final de ano, por isso preferi deixá-los para o próximo mês e manter o foco.

Dos que estão parados há tempos, selecionei os físicos e os digitais. Não está na ordem de leitura, mas eles serão lidos e farei o possível para terminar antes do fim de janeiro.

Livros físicos:
  • Crime e Castigo (Fiódor Dostoiévski) - já comecei e parei várias vezes apenas por motivo nenhum. É um livro maravilhoso, mas aí aparece uma louça pra lavar e ele fica abandonado.
  • Lava Jato (Vladimir Netto) - quem se interessa por toda a situação lamentável dos políticos e empresários do nosso amado Brasil com certeza vai querer ler esse livro.
  • Wayne de Gotham (Tracy Hickman) - tenho a versão digital dele e comprei o físico na feira do livro. Eu quis tanto esse livro que quando tive ele nas mãos foi tipo o conto Felicidade Clandestina da Clarice Lispector.
  • Cause of death (Patricia Cornwell) - a partir de agora vou ler um livro em inglês por mês. Meu inglês tá enferrujado e preciso dar um jeito nisso.

Livros digitais
  • Boneco de Neve (Jo Nesbo) - porque minha vida sem um terrorzinho básico não existe
  • Mentiram (e muito) para mim (Flavio Quintela) - normalmente eu não indico livros sobre política e essas coisas aqui no blog, mas estou vendo cada vez mais a necessidade de incentivar esse tipo de leitura, então depois de ler com certeza vou falar dele por aqui.
Então é isso, para acompanhar minhas leituras é só ficar de olho aqui no blog e também lá no Skoob 😉

sexta-feira, dezembro 22, 2017

LIVRO | CELSO DANIEL - SILVIO NAVARRO

Certamente esse é o gênero que menos aparece por aqui. Mas já adianto que vai ser mais frequente e, aliás, já até falei sobre livros do tipo lá no blog Pensamentos Valem Ouro, sugiro muito a leitura do livro A República da Propina, ainda mais porque 2018 é ano eleitoral. Mas então, faz tempo que quero começar a sugerir livros sobre casos envolvendo políticos, já que eles nos trazem uma visão diferente das versões contadas pela mídia. Além de ser um caso ainda famoso e falado no Brasil, Celso Daniel apresenta um crime brutal, impiedoso e cheio de mistérios envolvendo, inclusive, outros grandes nomes da política brasileira.

Sinopse: Mito político-policial. Tabu entre as forças de investigação. Pauta jamais superada na imprensa. Permanente perturbação na cabeça de homens poderosos, de partido poderoso. Este mistério perfeito e digno da melhor literatura de suspense é, no entanto, uma trama real. Nenhum crime brasileiro recente mobilizou mais o imaginário popular que o assassinato de Celso Daniel, prefeito petista da cidade de Santo André, em janeiro 2002 — mesmo ano em que Luiz Inácio Lula da Silva seria eleito presidente da República. Quase quinze anos depois, Silvio Navarro reconstrói, em detalhes, a sofisticada máquina de desvio de recursos públicos e expõe as bases operacionais do que seriam, em escala nacional, mensalão e petróleo. Resultado de uma apuração de fôlego, Celso Daniel é uma reportagem em ritmo de thriller. Um estandarte a mostrar a força do jornalismo que reúne fatos novos e esclarecedores para que encontremos a leitura, o caminho, a verdade.
Avaliação: ★★★★★
Sim, eu gosto muito de ficar por dentro do mundo da política e saber sobre quem nos representa, ou deveria representar. Além disso, como vocês sabem, eu sou daquelas que não dispensa uma teoria da conspiração e se tem uma coisa que esse livro tem e muito, meus caros amigos, é teoria da conspiração.
Pela sinopse você já sabe do que vai tratar o livro e mesmo que você seja uma pessoa totalmente away desse assunto, tenho certeza de que em algum momento da sua vida você já ouviu esse nome: Celso Daniel. O caso é realmente intrigante, mas o livro conta basicamente todos os fatos que culminaram na morte do prefeito de Santo André.

Eu tinha certeza de que no final eu chegaria à conclusão de que ~uma certa pessoa por ai~ foi a mandante da morte dele, mas isso não aconteceu, já que a intenção do livro é nos apresentar fatos que rondam até hoje esse mistério. Com base nesses fatos você imagina N situações; percebe a quantidade de pessoas envolvidas e o pior, nunca será 100% resolvido e sempre haverá duvidas.
Como pode 10, eu disse DEZ pessoas ligadas diretamente à morte de Celso Daniel simplesmente, do nada mesmo, morrerem de causas naturais, acidentes ou cometerem suicídio? Muito estranho, certo? A última e mais recente morte, que até entendemos, foi a do Sombra, mas ainda assim os médicos disseram que ele estava bem apesar da luta contra o câncer.

Considero uma leitura muito válida para nós pensarmos bem em quem vamos depositar nossa confiança nas próximas eleições. A corrupção é tipo câncer, mas se não buscarmos conhecimento e, pelo menos, fizermos nossa parte, sem dúvida não haverá esperança de cura.

A intenção de indicar esse livro não é apontar um partido ou outro, não é ser coxinha ou petralha. Muito pelo contrário, quero que você leia e tome sua própria decisão sobre o que pensar a respeito desse e de muitos outros casos que acontecem diariamente e nós nem ficamos sabendo.

I.S.B.N: 9788501107725; Páginas: 238; Ano: 2016; Autor: Silvio Navarro; Gênero: Biografia, Autobiografia, Memórias, Política; Editora: Record.

Compre agora


quarta-feira, dezembro 20, 2017

SÉRIE | SLASHER

Esse é o tipo de série que eu indico para todos aqueles que curtem filmes/séries estilo Scream, já que não é todo mundo que gosta desse tipo de história. E já adianto que para chegar na parte boa da série você vai precisar sofrer num pouquinho. Deixe eu explicar, a primeira temporada é bem ruim, mas a segunda é ótima. A segunda temporada tem uns detalhes que você vai ficar se perguntando COMO ASSIM EU NÃO VI ISSO DEUS? Enquanto que na primeira a protagonista tem a mesma cara o tempo todo. Ela simplesmente não tem expressão.

Bom, até agora Slasher tem duas temporadas e possuem histórias independentes, ou seja, é uma série antológica. Se você quiser pular direto para a segunda, você entende tudo perfeitamente, mas eu me sentiria mal. Simplesmente não consigo.
Na primeira temporada, Slasher é basicamente sobre o assassinato dos pais de Sarah Bennet. Eles foram mortos de forma brutal durante o Halloween em que a mãe ainda estava grávida dela. O assassino é preso e anos mais tarde Sarah retorna à cidade para abrir uma galeria de arte e, consequentemente, fica na casa que era dos pais. Lembrando Pânico e seus derivados, quando ela volta, uma série de assassinatos começam a acontecer e ela é o centro das atenções, já que faz parte da história da cidade.
A temporada tem tudo para ser ótima, não fosse a falta de expressão da Sarah, como eu citei ali em cima e algumas várias coisas que soam muito clichês. O namorado dela parece suspeito desde o início, eu já colocava a culpa nele antes de qualquer coisa, porque eita bichinho sonso. Muitas coisas interessantes acontecem e são reveladas ao longo da história e no fundo é até boa, mas. O assassino você começa a desconfiar só lá nos dois últimos capítulos. É o tipo de história que você pode definir como 'é boa, mas é ruim'.
Já a segunda temporada é muito, muito boa. Um grupo de amigos comete um assassinato terrível no acampamento e é encoberto durante alguns anos. Devido ao sumiço da garota durante o acampamento, ele acaba sendo fechado e a filha dos donos o transforma em abrigo para pessoas que querem se isolar da cidade grande. Lá tem meditação, yoga e tentam viver uma vegana. O grupo de amigos decide voltar ao acampamento para mudar o corpo da menina de lugar, mas então começa a matança de todos os lados. Tudo indica que é alguém vingando a morte da menina.
Como eu disse a segunda temporada de Slasher é ótima. Tem a tensão o tempo todo no ar e você acaba desconfiando de todos e levantando teorias por todos os lados. O final é bem surpreendente e o motivo de quase todo mundo morrer é de deixar o queijo caído e várias interrogaçõeszinhas, depois você vê que faz todo sentido. Eu gostei da maioria dos personagens e a história do acampamento que levou uma menina à morte é bem sinistra.

A série está disponível na Netflix e vocês sabem que eu só recomendo o que realmente gosto, então, quando tiver um tempinho, veja Slasher e me conte o que achou.

segunda-feira, dezembro 18, 2017

LIVRO | PERDÃO, LEONARD PEACOCK - MATTHEW QUICK

Estou pensando aqui se vou conseguir escrever sobre todos os livros que li esse ano antes do dia 31. Deixei tanto para depois que o ano praticamente acabou e aqui estamos nós, atrasados. Enfim, às vezes eu faço buscas de livros por tema, foi assim com autistas, serial killers, personagens suicidas, etc. Indiquei para vocês Suicidas, um livro incrível e agora que apresentar Perdão, Leonard Peacock, do escritor Matthew Quick, autor de O Lado Bom da Vida.

Sinopse: Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto. 
Avaliação: ★★★★☆

Sempre que leio algo relacionado a suicídio sinto um aperto muito grande aqui dentro de mim. Esse é o tipo de livro que você torce para que no final tudo dê certo, melhor dizendo, tudo dê errado e que o personagem principal não se mate.  Certamente esse foi um dos livros que mais me tocou nos últimos tempos.

Fiquei pensando a todo instante como é difícil ver sua vida despedaçada, parecendo que não existe uma luz no fim do túnel e que ninguém é capaz de mudar aquilo dentro de você, mas ao mesmo tempo você implora por dentro que alguém note que alguma coisa mudou. Uma vez eu ouvi que quando uma pessoa quer se matar e ela está determinada a fazê-lo, ninguém pode fazer nada para mudar. Eu penso completamente diferente.

Já ouvi que depressão depende unicamente da pessoa querer mudar. Porém quantas vezes você quer apenas que as pessoas notem que você está quebrado de alguma forma?

No livro, o personagem Leonard está decidido a matar o ex melhor amigo e cometer suicídio depois. No entanto, ao longo da história ele vai falando que algumas pessoas poderiam mudar aquele dia, que por sinal é seu aniversário. Uma palavra as vezes pode mudar o curso inteiro de uma historia, mas normalmente ninguém esta disposto a falar alguma coisa.

Perdão, Leonard Peacock é um livro extremamente emocionante, que trata de abuso sexual e todas as consequências que ele traz. Nos faz pensar sobre como é importante a figura materna e o fato de ela, que deveria ser a pessoa que mais te ama na vida, fazer diferença quando o assunto é acolher. Também percebi, ainda mais eu sendo professora, o quanto é importante o papel da escola e dos professores no tratamento de pessoas com depressão. Claro, professor não é médico, mas é um dos que mais  consegue ter facilidade em perceber algo errado.


Em 13 Porquês temos vários exemplos de vezes em que a Hannah poderia ter sido ajudada, ela deixou claro várias vezes que não estava bem. É para refletir mesmo. É um assunto bastante delicado, mas depois de ler PLP, entendi mais ainda o poder que as palavras tem de salvar vidas.

I.S.B.N: 9788580573954; Páginas: 224; Ano: 2013; Autor: Matthew Quick; Gênero: Literatura Estrangeira / Romance; Editora: Intrínseca.

Compre na Amazon

quinta-feira, dezembro 14, 2017

3 FILMES PARA CHORAR MUITO

Preciso confessar que eu já chorei muito vendo filmes. Sou do tipo chorona mesmo, choro se estou feliz, choro se estou triste, choro por causa de livros. Depois que comecei a namorar o Rodrigo e ele ficava me zoando por causa das lágrimas eu aprendi a segurar. Ele não. Acontece que normalmente nós assistimos filmes muitos filmes que têm um final triste, mas os que mais nos fazem segurar as lágrimas são aqueles que jogam na nossa cara uma história de vida, um amor fortíssimo - que não é entre homem e mulher, e um final surpreendente. Nós assistimos alguns desses e eu quero indicar três aqui que sem sombra de duvidas vai arrancar uma lagriminha ai de você.

1 - I am Sam - 2001 (Imdb 7,6)
Sam Dawson (Sean Penn) é um homem com deficiência mental que cria sua filha Lucy (Dakota Fanning) com uma grande ajuda de seus amigos. Porém, assim que faz 7 anos Lucy começa a ultrapassar intelectualmente seu pai, e esta situação chama a atenção de uma assistente social que quer Lucy internada em um orfanato. A partir de então Sam enfrenta um caso virtualmente impossível de ser vencido por ele, contando para isso com a ajuda da advogada Rita Harrison (Michelle Pfeiffer), que aceita o caso como um desafio com seus colegas de profissão.

2 - My Sister's Keeper  - 2009 (Imdb 7,4)
A pequena Anna não é doente, mas bem que poderia estar. Por treze anos, ela foi submetida a inúmeras consultas médicas, cirurgias e transfusões para que sua irmã mais velha Kate pudesse, de alguma forma, lutar contra a leucemia que a atingiu ainda na infância. Anna foi concebida para que sua medula óssea prorrogasse os anos de vida de Kate, papel que ela nunca contestou... até agora. Tal como a maioria dos adolescentes, ela está começando a questionar quem ela realmente é. Mas, ao contrário da maioria, ela sempre teve sua vida definida de acordo com as necessidades da irmã. Então, Anna toma uma decisão que seria impensável, uma atitude que irá abalar sua família e talvez tenha terríveis consequências para a irmã que ela tanto ama.

3 - Gifted - 2017 (Imdb 7,6)
Frank Adler (Chris Evans) é um homem solteiro que cria sua jovem sobrinha Mary (Mckenna Grace), uma menina prodígio. Frank planeja oferecer uma vida escolar normal para a jovem de sete anos, mas os planos são frustrados quando as habilidades de matemática de Mary chama a atenção da mãe de Frank, Evelyn (Lindsay Duncan). Ela possui outros planos para a neta, que podem separar Frank e Mary

O que todos esses filmes têm de semelhante além de fazer a gente chorar muito? A tradução para o português: Uma lição de amor, Um laço de amor, Uma prova de amor. A criatividade na hora de escolher o nome em português é zero, mas garanto que são filmes incríveis.

terça-feira, dezembro 12, 2017

SÉRIE | SECRETS AND LIES

Séries policiais também são muito queridas por aqui, por isso, vira e mexe eu procuro alguma nova para ver. Sou muito fã de séries tipo CSI e Chicago PD. Secrets and Lies segue essa linha, mas a única semelhança entre a primeira e a segunda temporada é a detetive Cornell e sua eficiência quando se trata de descobrir o culpado.

A primeira temporada é sobre o assassinato de Mike, um menino de 7 anos e muito querido pela família de Ben Crowford. Ben se torna o principal suspeito depois de não saber explicar e convencer a todos como chegou ao corpo do garoto.

Os personagens são muito bem construídos bem como toda a história. A série tem um suspense no ar, daqueles que você fica apostando quem é culpado, quem não é e no final de surpreende DEMAIS!

Ben, como principal suspeito, precisa provar a todos que é inocente, para isso ele procura pistas e motivos que outras pessoas tenham para querer fazer qualquer crueldade com o menino. O problema é que ele sempre acaba se incriminando e eu confesso que isso me irritou um pouco. Não consigo imaginar o que eu faria se precisasse comprovar minha inocência sobre qualquer coisa, mas me irritou tanto o fato de que a Cornell o tempo todo pedia para ele parar e deixar a polícia trabalhar e ele simplesmente não dava a mínima.

Conforme vão se passando os episódios, você suspeita de todos e realmente acha que todo mundo é culpado, até mesmo o Ben. Tudo aponta para ele. Acontece que o final é bem surpreendente.

Já na segunda temporada, a história é outra, o elenco é todo diferente, e, como eu disse, a única coisa que continua igual é a detetive.

Logo no primeiro episódio a mulher cai do 6° andar, até então de forma misteriosa. Ela é esposa de Eric Warner, logo, ele é o principal suspeito de assassinar a esposa. Amada é irmã dele e é advogada, ela que vai lutar até o fim para provar a inocência do irmão. Acreditem o final é surpreendente e você vai sentir muita raiva. Mas tudo é mito legal, a sensação de ser um detetive por trás das câmaras é maravilhosa!

Já vira? o que acaram? Pretendem ver? me Contem depois.

segunda-feira, dezembro 11, 2017

4 SÉRIES QUE EU NÃO AGUENTO MAIS!

Vocês sabem o quanto eu amo séries. Deus é testemunha de que eu tentei, eu juro que eu tentei, com lágrimas nos olhos, continuar amando cada episódios dessas séries, mas a verdade é que EU NÃO AGUENTO MAIS!!! Certeza de que você tem aquela série que adora e que quando chega na temporada 95 você só pede a Deus que toque no coração dos produtores para que eles acabem com tudo logo. Ultimamente estou dando muito valor àquelas séries que têm 10, no máximo 13 episódios. Só assim eu sei que não vai ter muito mimimi, encheção de linguiça e cada episódio vai ser muito bem aproveitado. Aqui estão algumas daquelas que já foram as queridinhas do meu coração, mas que hoje eu só quero que termine.


1 - The Flash
Lembro até hoje o quanto fiquei animada quando o primeiro episódio de Flash vazou. Eu assisti de novo na estreia e estava amando tudo, inclusive o Cisco era a melhor pessoa. Eis aqui alguns motivos pelos quais eu não consigo continuar vendo a série: Wally é chato demais com isso de que não tem poder, todo mundo tem menos eu; Berry nunca ouve ninguém, vai lá, faz merda, se arrepende, mudou a linha do tempo; Cisco tá chato demais; Caitlin não decide se assume seus poderes ou não, tá chata demais; todo dia um Harrison Wells diferente. Ah, cansei! Não vejo mais nenhum episódio.

2 - Arrow
Olha, eu era apaixonada pelo Oliver, pela Lauren e por todo mundo ali, mas chegou a um ponto em que eu não aguento mais "I must be someone else. I must be something else". Dá vontade de gritar quando ouço isso em algum outro contexto. Além disso, detesto as vezes em que o Oliver dá piti, o que acontece em quase todos os episódios. Isso de "ain não pode matar", "ain, você não é um assassino" me dá nos nervos. Chega, eu não preciso disso!

3 - Legends of Tomorrow
Essa poderia ter parado no segundo episódio. Parei na primeira temporada mesmo e quase nem chego ao fim. Na época da estreia eu venerava a CW, amava a Canário e tinha grandes expectativas para LOT. Foi decepção a primeira vista e por mim acabava hoje mesmo. Acho que a CW tem ótima intenções, mas as séries estão realmente bem chatas.

4 - The Walking Dead
GENTE!! Eu adoro zumbi, adoro todo esse universo, mas TWD chegou a um ponto em que os zumbis não são mais o foco. Esses episódios que contam a história de um único personagem são chato demais. A série não anda, não acontece nada de MEU DEUS O QUE FOI ISSO? Não aguento mais ninguém conseguir acabar com o Nigan. Simplesmente parou no tempo. Nada mais acontece.

Tem alguma série que você não aguenta mais também? Conta ai e vamos reclamar juntos no Twitter.

quarta-feira, dezembro 06, 2017

LIVRO | PSICOPATAS DO COTIDIANO - KATIA MECLER

Li esse livro faz um tempo e estava aqui procrastinando para compartilhar com vocês. O título do livro é um tipo que chama minha atenção de longe, então quando o vi não tive dúvidas de que ele seria meu. Assim como já disse quando sugeri esse livro e essa série, eu AMO história sobre serial killers e psicopatas. Ficção ou não, eu gosto da leitura, não perguntem o motivo, apenas gosto.

Mas aqui não temos histórias de criminosos ou algo assim. Eu diria que é mais um manual para você reconhecer os psicopatas que te rodeiam. As vezes eu acho que deveria cursar psicologia, porque o comportamento humano é no mínimo interessante. Confesso que quando vi o título do livro pensei: NOSSA, SERÁ QUE ESTOU CERCADA DE LOUCOS CRIMINOSOS? Mas como eu disse, através dessa leitura você  consegue analisar um pouco as pessoas próximas a você.
Sinopse: Diz o ditado que de perto ninguém é normal. E, de fato, basta parar um minuto para observar o seu entorno e você vai identificar aquela pessoa que é instável demais, outra que é inflexível demais, outra ainda que é teatral ou insegura ou arrogante ou submissa... Os desvios são muitos, e estão sempre à nossa volta. Às vezes são apenas características individuais, que não preenchem critérios para diagnóstico psiquiátrico algum, mas outras vezes são comportamentos repetitivos, peculiares e disfuncionais que causam danos físicos e psicológicos às próprias pessoas ou para aquelas que estão ao seu redor. Este livro identifica estes que são os psicopatas do cotidiano e explica em detalhes as características que levam essas pessoas a agirem assim. Para quem tem um deles ao redor, será uma oportunidade única de descobrir mecanismos que ajudem a manter a própria integridade, física ou psicológica, sem abrir mão da convivência. "As pessoas precisam, isto sim, conhecer melhor seus próprios problemas ou os transtornos de gente do seu relacionamento. E o conhecimento é o melhor caminho para que se possa conviver melhor.
Avaliação: ★★★★☆
O autor mostra a cada capítulo um tipo de transtorno de personalidade, tais como o paranóide, o borderlaine, o antissocial, entre outros. É muito comum no decorrer da vida encontrarmos pessoas com essas características e é bem complicado lidar com essas pessoas. Além disso, quem aí nunca se considerou antissocial? ou obsessivo-compulsivo? Eu mesma me considero uma pessoa que não sabe lidar com outras pessoas na maioria das vezes e gosto até de evitá-las, claro, não sempre (risos).

E aí que em Psicopatas do Cotidiano a autora, Katia Mecler, nos explica detalhadamente como são cada uma dessas pessoas. Sabemos que é muito fácil nós aprendermos a lidar com elas do que esperar que elas mudem do dia para a noite, então é uma leitura extremamente válida.

Já percebeu, também, que muitas pessoas que ocupam cargos altos possuem algum tipo de característica que nos faz pensar NÃO PODE SER NORMAL. Já tive chefes que arrasaram com a minha vida justamente porque eu não sabia lidar com alguns comportamentos.
É impressionante como muitas das coisas faladas no livro são reais e me fizeram pensar em todas as pessoas que já passaram pela minha vida. Sem falar que na maioria dos casos a gente só tem o costume de pegar ranço e pronto. Também é importante que aquelas pessoas que têm filhos fiquem de olho no comportamento deles. Isso é muito sério e o ser humano, normalmente, já têm o poder de destruir vidas e ser péssimos, então a melhor saída é cuidar das crianças de hoje.

Como eu disse ali em cima, o comportamento humano é interessantíssimo, talvez seja esse o motivo de eu gostar tanto de temas relacionados.

I.S.B.N: 9788577345700; Páginas: 253; Ano: 2015; Autor: Katia Mecler; Gênero: Não-ficção / Psicologia; Editora: Leya.

Onde comprar:

terça-feira, dezembro 05, 2017

CONFRATERNIZAÇÃO DE INFLUENCIADORAS DIGITAIS DE BRASÍLIA 2017

Se tem uma coisa - das várias - que eu detesto nessa vida é ficar sem postar aqui no blog. Isso me deixa muito para baixo sabe? mas é que às vezes dá um desânimo, aí não postar me dá mais desânimo e por aí vai. Enfim. Vou contar para vocês um pouquinho sobre a confraternização que tivemos no último final de semana com algumas blogueiras aqui de Brasília. Hoje eu não posso mais dizer que faltam blogueiros aqui, porque fiz tantos amigos que compartilham do mesmo amor que eu por esse mundo que seria muita injustiça dizer que eles não existem. Agora só precisamos conquistar um espaço maior.

As idealizadoras do evento foram a Maria e a May, duas pessoas incríveis que passei a admirar demais. Elas, inclusive organizaram o picnic, lembram? Então, quando a Maria me convidou eu pulei de alegria, porque sempre via as fotos desses eventos de final de ano e ficava com muita vontade de participar.
Foi muito trabalhoso. Apesar de não ter participado diretamente da organização, sei que foi algo que exigiu muito esforço e noites sem dormir por parte das organizadoras. Empresas que disseram que apoiariam e em cima da hora desapareceram; vários nãos, várias portas fechadas, mas também várias pessoas acreditando no nosso trabalho, e é isso que me faz querer continuar.
Eu tinha muito receio de dizer que sou uma influenciadora e ainda me acho muito pequena para me intitular ~influencer, porém sei que vocês que me acompanham e que seguem a maioria das minhas sugestões contribuem muito para que o blog cresça cada dia mais. Tenho muito o que aprender nessa vida, mas com a ajuda de vocês eu sei que consigo.
Para que essa confraternização desse certo, nós contamos com muitas empresas maravilhosas. Você devem imaginar como é ser reconhecido por qualquer coisa, por mínima que seja. Então nós tivemos três mini workshops: fotografia, com o Júnior da The Flash Fotos (@theflashfotos); linguagem e comunicação na era digital, com o Rodrigo do Questões Controversas (@questoescontroversas) e como fidelizar clientes, com o Diogo da Agência 2biz (@oficial2biz).
Sem falar cada uma das meninas que participou. Ri demais, pude conhecer pessoas maravilhosas e sei que essa é uma grande chance de crescermos juntas. Espero que no próximo ano possamos fazer um encontro a cada mês hahaha.

Teve muita foto e eu estou postando lá no meu Instagram e também estou marcando as meninas nas fotos, porque o tipo de mídia é bastante variado, eu levaria uns três dias para organizar e linkar cada blog, canal e Instagram aqui, então passa lá, me siga e siga as meninas também, elas são show!

Você pode acompanhar as publicações no insta pela hashtag #cibsb2017