Em toda a existência deste humilde blog, eu nunca falei nada sobre Harry Potter. Pelo menos não que eu me lembre. Mas aí, eis que nas minhas passagens pelo Pinterest eu vi várias artes lindas e muitas que podem ser usadas como papel de parede no celular. Resolvi separar as que mais gostei e compartilhar com vocês. Vamos ver?

Coloquei os links do Pinterest, onde encontrei, para que você baixe as imagens em melhor qualidade e recomendo que você entre no link da pessoa que postou as imagens. Alguns não tem nome do criador, mas outros têm e assim você pode conhecer melhor o trabalho dessas pessoas maravilhosas que tornam a internet linda.

Espero que curtam.
Não sei bem o que me levou a assistir Samantha. Lembro-me de ter visto algumas coisas, mas não liguei muito. Depois de tentar assistir 3% e O Mecanismo, eu fiquei bastante receosa em relação a séries nacionais, visto que achei as atuações de 3% bem forçadas e, assim como a maioria da população brasileira, O Mecanismo só foi com legendas. No entanto, estou muito surpresa e feliz com Samantha. É realmente maravilhosa!

Sinopse: Samantha! acompanha a história de uma decadente ex-celebridade mirim dos anos 80, que hoje se apega desesperadamente aos últimos vestígios da fama com planos absurdos para conseguir voltar aos holofotes, enquanto seu marido, uma ex-estrela do futebol, volta para casa depois de passar mais de uma década na prisão.

Estou muito feliz de vir aqui compartilhar com vocês essa série. A maioria das séries que vejo eu gosto bastante, mas algumas se tornam as queridinhas, sabe? E escrever sobre elas acaba sendo uma coisa muito prazerosa.

Samantha é uma série de comédia. Ela traz diversos elementos dos anos 80/90 e muitas referências a programas e pessoas da época, tudo bem discreto e que se você não tiver essa bagagem talvez não entenda algumas coisas. Sei que a série irá agradar grande parte do público, mas sei que vai cativar nós que vivemos na época em que era normal mulheres seminuas dividirem o palco com crianças.
Sobre os personagens, só tenho elogios. Começando pela Samantha. Ela é muito engraçada e vou te falar que adorei a versão mirim dela. Ri demais daquela carinha de criança abusada e possuída pelo "ritmo ragatanga" que adora praticar bulliyng. Tem também o Dodói, marido dela, que é um cara  bem engraçado, mas pelo jeito bem irresponsável. Só que eu achei que poderiam explicar melhor o motivo de ele ter sido preso.

As crianças, Cindy e Brandon, são fofas demais. A Cindy luta pelos animais e pelo movimento feminista. Assim, ela não luta, mas ela conscientiza as pessoas sobre a importância desses movimentos. Brandon é a criança com alma de velho. Amo!

Alguns outros personagens, com a Laila, merecem um destaque especial. Ela é muito digital influencer. Eu imagino que essas meninas famosas da internet são exatamente como ela (rindo aqui). Adorei! Cigarrinho, Bolota e Tico são ótimos, cada um com sua essência.

Samantha é uma mulher inteligente, que construiu uma história e uma carreira, mas que infelizmente foi ficando para trás, algo que vemos muito facilmente, bastando apenas dar um Google em alguns nomes. Ainda assim ela é bastante orgulhosa de tudo o que fez. Ainda assim tenta continuar na mídia.

A série tem ainda a participação da Gretchen, da Sabrina Sato e do Marco Gonçalvez - para quem não lembra, ele participa de vários shows dos Barbixas. Achei demais a Gretchen na série, ela merece uma série só dela!

Tenho certeza de que vocês vão amar assistir Samantha, por favor!!! São apenas sete episódios, o mais longo com 37 minutos que passam voando. Juro que vocês vão gostar.

Até a próxima!
Daqueles livros que dão um quentinho no coração. E muito difícil eu ler algo assim, mas é muito legal quando acontece, porque eles normalmente vêm em momentos inesperados mas que acabam marcando sabe?

Nunca tinha ouvido falar do autor até que comecei um curso de formação de leitores e conheci um monte de professores incríveis. Cada aula é uma tonelada de informação, aprendizado, conhecimento. Quem dera todos pudessem participar.

Uma colega indicou e eu achei que seria uma leitura muito boa. Foi uma surpresa por saber que pouquíssimas páginas pudessem me fazer tão bem.

Sinopse: O medo do escuro talvez seja o primeiro grande desafio da infância. Alguns cientistas afirmam inclusive que esse medo está em nosso DNA desde o início dos tempos. Nós humanos, na ausência de luz, podemos imaginar as coisas mais terríveis quando enganados pelos outros sentidos: sombras que tomam formas de monstros e barulhos estranhos que não nos deixam dormir à noite. Mas basta crescermos um pouco para a imaginação colocar a escuridão do nosso lado. As sombras que antes assustavam se transformam em brincadeira na parede mais próxima – o que na juventude pode servir para alimentar boas conversas, inventar histórias e realizar encontros mágicos.
Uma escuridão bonita fala da beleza desses encontros. Um casal de jovens aproveita a falta de luz em sua cidade para trocar algumas palavras sobre suas vidas e, assim, se descobrem aos poucos. Uma história escrita pelo premiado escritor angolano Ondjaki sobre as coisas não ditas, mas que acabam por preencher os jovens corações sem medo da ausência de luz.
Avaliação: ★★★

Um livro com pouca palavras, poucas páginas, todo preto, incrivelmente lindo. Traz uma história de dois adolescentes prestes a darem um beijo. Sei que não é meu tipo de leitura preferido, talvez, passando na livraria, eu jamais o comprasse. Talvez nem uma folheada.

Está aqui o tipo de surpresa que eu amo: histórias que me tocam. Não tem aquela coisa melosa de romance adolescente. De forma alguma. Ele é cheio de frases marcantes, é muito tranquilo de ler e tem um jeito poético que certamente você vai gostar.

Vocês que estão acostumados às minhas indicações de romance policial, thriller psicológico, terror; podem ter certeza de que Uma Escuridão Bonita não tem absolutamente nada a ver com isso. Pode apostar que será um momento muito doce e que vai deixar o seu dia mais leve.
Gostaria de fazer um destaque especial à ilustração do livro. A mistura da ilustração com as palavras do Ondjaki tornou o livro melhor ainda. O ilustrador  António Jorge Gonçalves é Português, licenciado em Design de Comunicação, na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa, mestre em Cenografia de Teatro na Slade School of Fine Art, de Londres, onde foi bolsista da Fundação Calouste Gulbenkian. Não é pouca coisa. O trabalho dele é apenas incrível.

Espero que vocês possam ler Uma Escuridão Bonita em algum momento. Que livro!

I.S.B.N: 9788534705080; Páginas: 112; Ano: 2013; Autor: Ondjaki; Gênero: ; Editora: Pallas.

Compre na Amazon clicando no link abaixo, assim você estará ajudando o blog ❤
Quem aí estava esperando pela lista de filmes vistos no mês? Às vezes eu penso que pode ficar repetitivo, mas essa é uma das categorias mais visitadas do blog, então, ruim não é. E convenhamos, é bem melhor você chegar e pegar uma lista de filmes pronta do que ficar horas rolando a barrinha da Netflix escolhendo o que vai ser e no final não escolhe nada. Comigo é assim. Mas vamos lá.

  1. Em Pedaços (2017) - Um ótimo filme com uma premissa muito boa. Você assiste até o final para saber como termina, mas achei meio paradinho de vez em quando.
  2. Operação Avalanche (2016) - Amo teorias da conspiração, quem não? Sabe aquela história de que o homem foi a lua? Pois bem, decidiram fazer um filme mostrando como a história toda poderia ser forjada. 
  3. Desejo de Matar (2018) - "Bruce is back". Filmes de ação, filmes com Bruce Willis, têm tudo para dar certo. Eu gostei bastante e é bem do estilo de filmes de ação do Bruce Willis mesmo. Vale a pena.
  4. Meu Pé Esquerdo (1989) - Como eu nunca tinha ouvido falar desse filme antes? Ele mostra como é comum considerarmos as deficiências o fim de uma pessoa e que ela nunca vai ter chance para nada. Existem casos e casos, mas não podemos duvidar da capacidade alheia. Adorei!
  5. Fobia (2017) - Quer desgraçamento? Esse filme é basicamente para esfregar na nossa cara o quanto o ser humano pode ser desprezível. Um filme agoniante mesmo quando você nem sabe o que está acontecendo.
  6. Aos Teus Olhos (2018) - Quem filmão da p@#%a! Por que será que os melhores filmes brasileiros não são divulgados? É muito difícil eu parar para ver filme nacional. Algumas comédias são ótimas, mas hoje em dia, em tempos de youtubers, é preciso selecionar bem o que você vai assistir. Aos teus olhos é daqueles filmes que desgraçam seu cérebro e sua vida.
  7. O Motorista de Táxi (2017) - Daqueles filmes que são tristes e lindos. Guerras são sempre cruéis e eu gosto de ver histórias sobre pessoas que mudaram a vida de alguém em um período tão conturbado. Quase chorei.
  8. Fahrenheit 451 (1966) - Baseado no livro, que em breve estará aqui no blog e indicação da professora do curso que estou fazendo na EAPE. Claro que o livro é muito melhor, mas esse filme, de 1966, é igualmente maravilhoso. Assisti o de 2018 e gostaria de desver eternamente.
  9. O Pianista (2002) - Um clássico. Eu não lembrava o quanto esse filme é incrível. Sempre me impressiona o quanto os judeus sofreram durante a 2ª guerra mundial. É daqueles filmes que impressiona demais.

Dessa vez não foram dez filmes, foram apenas nove e eu continuo sem saber onde eu estava durante o mês de junho. Passou tão rápido que nem deu tempo de fazer nada. Estou de recesso, graças a Deus, e vocês estão vendo que coisa lindo, três posts essa semana? 

Quero continuar com esse formato, aliás, sempre foi um sonho postar segunda, quarta e sexta. Tetaremos? Tentaremos e conseguiremos, eu ouvi um amém?

Se ainda não viu a lista do mês passado, então clique aqui e veja 10 melhores filmes vistos em maio